Copacabana terá show gratuito contra o aquecimento global para até 1 milhão de pessoas

13 maio 2007

Brasil será o maior palco para a série de shows que acontecerá no dia 7 de julho em oito cidades do mundo, com o objetivo de despertar a consciência e engajar as pessoas na luta contra o aquecimento global.
O Brasil será o maior palco para a série de shows que acontecerá no dia 7 de julho em oito cidades do mundo, com o objetivo de despertar a consciência e engajar as pessoas na luta contra o aquecimento global. Batizado de “Live Earth”, o evento acontecerá no Rio de Janeiro, em Tóquio, Shangai, Sydney, Londres, Joanesburgo, Hamburgo e Nova Jersey, e tem apoio da Rede WWF e do WWF-Brasil. O show no Rio, que deverá atrair até 1 milhão de pessoas, será o único gratuito entre os oito, anunciou no sábado, 12 de maio, o ex-vice-presidente dos EUA Al Gore, que participou de uma entrevista no Rio ao lado da apresentadora Xuxa, representantes da prefeitura do Rio e do banco Itaú (patrocinador junto com a Rede Globo e a Prefeitura da cidade). O WWF-Brasil foi convidado a participar do anúncio.

“O combate ao aquecimento global é um tema de extrema relevância para a Rede WWF e o WWF-Brasil. Não é possível pensar no problema como um fenômeno isolado. Por isso, a abordagem do WWF-Brasil inclui a proteção de florestas e o combate ao desmatamento, estudos sobre energia sustentável, a proteção de manaciais e rios, além de um contínuo trabalho de conscientização”, diz Denise Hamú, secretária-geral do WWF-Brasil, que encontrou Al Gore antes do início da entrevista.

As atrações do show brasileiro serão anunciadas nas próximas semanas. Em Londres, os nomes incluem Madonna e Beastie Boys. Os shows serão transmitidos pela TV, pelo rádio e pela Internet.

“O maior show será o do Rio, e convido cada brasileiro preocupado com o meio ambiente e cada brasileiro que gosta de boa música a estar aqui em Copacabana”, disse Gore. “No ano passado foi registrado o primeiro furacão no Brasil, as geleiras do pólo norte derretem rapidamente. Quando seu filho tem febre, você normalmente vai ao médico. Nosso planeta tem febre e é preciso agir. O Live Earth dará início a um movimento que exigirá muita determinação, e trará também ótima música e divertimento”.

Gore lembrou que a luta contra o aquecimento global não pode ser vista como um duelo entre ecologia e economia, mas sim como um esforço para salvar a humanidade ou desistir dela. Ele lembrou que esse combate gerará muitos novos empregos em novos setores como a arquitetura sustentável. Gore defendeu ainda a redução de emissões primeiro dos países ricos, que criaria tecnologias capazes de facilitar a tarefa para economias emergentes como Brasil, Índia, China e África do Sul.

A apresentadora Xuxa lembrou da importância do engajamento das novas gerações: “Tenho muito ainda a aprender... Todos temos. Mas tendemos a achar que a ação deve ser dos outros, não nossa. Esta manhã, escovava os dentes com a torneira aberta e minha filha disse ‘mãe, fecha a torneira, pára de gastar água’”, disse ela.
Denise Hamú, secretária-geral do WWF-Brasil, e o ex-vice-presidente dos EUA Al Gore.
© WWF-Brasil / Dani Dacorso
DOE AGORA
DOE AGORA