Inscrições para o concurso de foto e vídeo do WWF-Brasil na reta final | WWF Brasil

Inscrições para o concurso de foto e vídeo do WWF-Brasil na reta final



25 maio 2010    
Rios cristalinos esculpem cavernas deslumbrantes em Bonito: prêmio do Concurso Olhares sobre a Água e o Clima.
© Michel Gunther / WWF

Para quem gosta de fotografia e vídeo, o prêmio do Concurso Olhares sobre a Água e o Clima não podia ser melhor: o primeiro colocado de cada categoria receberá um troféu e uma viagem de quatro dias e três noites para conhecer as águas cristalinas de Bonito (MS), um paraíso de belas imagens que certamente irá contribuir para o portfolio dos vencedores.

Cerca de 1.500 internautas já inscreveram suas imagens.  A partir do dia 3 de junho, terá início a etapa de votação aberta via Internet, que definirá os trabalhos que serão submetidos à comissão organizadora formada por convidados ligados à área de meio ambiente e profissionais de fotografia e vídeo.  Esta comissão definirá os quatro vencedores do concurso.

O evento tem por objetivo despertar nos internautas uma visão holística da água, envolvendo seus diversos significados e usos, e seu papel como fonte primordial da vida no planeta.

O concurso é dividido em quatro categorias: fotos de alta definição, de baixa definição ou de celular, e vídeos de baixa e alta resolução. Os melhores trabalhos vão ser eleitos por votação aberta na internet, que se inicia no dia 03 de junho. Podem participar fotógrafos e cinegrafistas profissionais ou amadores.


Bonito demais – Bonito, município do Mato Grosso do Sul, é o principal pólo turístico da Serra da Bodoquena.  E o principal atrativo desta região é justamente a água – objeto primeiro do Concurso Olhares sobre o clima. 

Ali, os rios têm como características principais a incrível transparência de suas águas e sua exuberante vida aquática. Em que pesem os esforços de conservação da região para o ecoturismo, a principal causa da transparência dos riachos e lagoas reside em uma causa bem mais geológica: na região, há muitas rochas, formadas principalmente por calcário procedente do endurecimento de conchas e algas do que se convencionou chamar de o Mar de Corumbá, que os cientistas presumem ter existido ali há cerca de 500 a 600 milhões de anos.

Seja resultado da ciência, da conservação ou da mão de Deus, Bonito festeja a vida e ilumina os olhares dos seus privilegiados visitantes.
 

Rios cristalinos esculpem cavernas deslumbrantes em Bonito: prêmio do Concurso Olhares sobre a Água e o Clima.
© Michel Gunther / WWF Enlarge
A exuberância da vida nas águas de Bonito faz a festa de turistas, fotógrafos e cinegrafistas.
© Michel Gunther / WWF Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA