Juntos pela restauração
do Cerrado e da
Mata Atlântica   

Bom Ar® e WWF-Brasil irão trabalhar juntos por três anos na restauração da Chapada dos Veadeiros e da bacia do Rio Doce 

© Michel Gunther/WWF-Brasil

Juntos, Bom Ar® e WWF-Brasil irão apoiar iniciativas locais no Cerrado para a coleta de 4 mil toneladas de sementes na Chapada dos Veadeiros, que têm o potencial de gerar 730 mil mudas de 70 espécies nativas da região, como o pequi (Caryocar brasiliense), o baru (Dipteryx alata), a sucupira (Pterdon emarginatus) e a mutamba (Guazuma ulmifolia).

Além disso, Bom Ar® e WWF-Brasil irão apoiar a produção de mais de 86.600 mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, na bacia do Rio Doce, e plantar pelo menos 100 mil mudas em áreas degradadas dos dois biomas, que incluem espécies como o ipê-roxo, uma das árvores mais queridas do Brasil.

Ao longo dos próximos três anos, Bom Ar® e o WWF-Brasil também trabalharão juntos para proteger pelo menos 35 nascentes de água na Mata Atlântica. Por meio do programa, espera-se ainda a criação de empregos, fomentando a economia local.

Bom Ar também vai integrar a construção do programa de educação ambiental do WWF-Brasil “Olimpíada Brasileira de Restauração de Ecossistemas”, que será lançado ainda em 2021 e reconhece a importância da comunidade escolar como ponto de partida para a mudança da relação da sociedade com a natureza. Serão 22 mil alunos de escolas públicas e particulares, de mil escolas brasileiras, envolvidos em iniciativas de educação ambiental até 2024.

A parceria também pretende fortalecer a conscientização sobre o tema com comunicação para público interno e externo por meio de campanhas de marketing e redes sociais. Bom Ar® acredita que o primeiro passo para o bem-estar está na reconexão e regeneração da natureza. Por isso, vai utilizar suas plataformas para conectar seus consumidores com essa causa.

Juntos Pela Restauração do Cerrado e da Mata Atlântica

Programa vai restaurar áreas dos dois biomas brasileiros reconhecidos mundialmente por sua
diversidade de espécies e áreas prioritárias na restauração ambiental brasileira.  

© André Dib/WWF-Brasil

CERRADO

O Cerrado se destaca pela abundância de espécies endêmicas (que só existem no bioma), com 12.070 espécies de plantas nativas catalogadas e 251 espécies de mamíferos registradas. O lobo-guará é uma das espécies locais e está em vulnerabilidade.

A importância do Cerrado também está relacionada aos chamados “serviços ecossistêmicos”: o bioma armazena 13,7 bilhões de toneladas de CO2 e contém nascentes de 8 das doze bacias hidrográficas brasileiras.   

Hoje, apenas 8% do Cerrado é oficialmente protegido –menos de 3% sob proteção integral– e o bioma tem sofrido com o aumento do desmatamento –restam 56% da sua cobertura nativa.

MATA ATLÂNTICA

A Mata Atlântica é um dos biomas mais ameaçados do planeta e mantém apenas 12,5% do seu território original. Abriga 60% da população brasileira e apresenta uma das mais ricas biodiversidades do mundo, com 20 mil espécies de plantas e mais de 2 mil espécies de animais. 

Nesse bioma, o foco de atuação do projeto é a bacia do Rio Doce, que receberá mudas de espécies como o Ipê roxo (Handroanthus hepthaphyllus), árvore que encanta as pessoas com suas floradas de cores vibrantes. 

Bom Ar e WWF-Brasil irão apoiar a produção de mais de 86.600 mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, além da proteção de 35 nascentes.  
© Jacqueline Lisboa/WWF-Brasil

#JuntosÉPossível

Bom Ar®, marca de produtos para perfumação de ambientes da Reckitt Hygiene Comercial, dá seu primeiro passo com o lançamento do novo propósito de marca –de conectar as pessoas à natureza– por meio de uma parceria com o WWF-Brasil.

© Michel Gunther/WWF-Brasil
DOE AGORA
DOE AGORA