| WWF Brasil


 
	© WWF-Brasil

O QUE É O AEDES?

Aedes aegypti é o mosquito popularmente conhecido como mosquito-da-dengue ou pernilongo-rajado, uma espécie de mosquito proveniente da África e atualmente distribuído por quase todo o mundo, especialmente em regiões tropicais e subtropicais, sendo dependente da concentração humana para se estabelecer.
 
O mosquito está bem adaptado a zonas urbanas, onde consegue reproduzir-se e pôr os seus ovos em água preferencialmente limpa, parada e que estejam em locais sombreados, pois as larvas do Aedes são sensíveis à luz.
 
É considerado vetor de doenças graves, como dengue, febre urbana, zika e chikungunya. 


 
 
	© WWF-Brasil


AQUECIMENTO GLOBAL E O AEDES

As mudanças climáticas podem aumentar a população de Aedes aegypti nos países tropicais e subtropicais, além de levar os mosquitos a lugares onde não ocorriam antes, como em áreas montanhosas da América do Sul e em certas regiões da Europa.
 
A associação de mudanças climáticas globais, ilhas de calor urbanas, aumento da população e más condições de saneamento formam o combo perfeito para a proliferação do Aedes.
 
Dados do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas ajudam a explicar: a maior parte do Brasil esquentou mais do que a média mundial no último século. O número de noites quentes cresceu no país inteiro. Em alguns lugares, as temperaturas mínimas subiram 1,4oC por década.
 
 

 

E A CRISE HÍDRICA?

Locais quentes, onde o fornecimento de água é escasso e com condições sanitárias ruins, tendem a aumentar os reservatórios domésticos de água para consumo. Esse acúmulo de água pode se tornar criadouro de mosquito e foi, provavelmente, o que aconteceu em São Paulo nos anos de 2014 e 2015, em que o número de casos de dengue foi elevado, mesmo com um verão muito seco, no qual a população estocou água.
 
Além disso, a urbanização desordenada, propicia o surgimento de criadouros em locais de difícil acesso, já que  causa a impermeabilização do solo, a obstrução de canais e a drenagem inadequada da água. As periferias, pouco assistidas pelo poder público, reúnem ótimas condições para proliferação do Aedes, com lixo exposto, baixo grau de instrução dos moradores, entre outros.

E O QUE NÓS TEMOS A VER COM ISSO?

 
Somos o País, no mundo inteiro, com o maior número de ocorrências da doença.
 
O WWF-Brasil, assim como uma série de instituições e pesquisadores das áreas da Ecologia e Saúde Pública, entende que proliferação dos mosquitos Aedes é um problema estritamente relacionado à questão ambiental.
 
Enquanto ainda não existem vacinas para dengue, zika e chikungunya, a principal forma de combate a essas doenças é a detecção e combate aos focos de procriação do mosquito vetor.

Por isso, estamos participando do Desafio de Impacto Social Google 2016 e precisamos do seu voto!
Comece com um click!
 
	© WWF-Brasil
 
	© WWF-Brasil
 
	© WWF-Brasil
 
	© WWF-Brasil
DOE AGORA
DOE AGORA