Conselho Consultivo


Dr. Paulo Nogueira-Neto (presidente emérito)

Álvaro Antonio Cardoso de Souza
Antonio Martins Fadiga
Antonio Paulo de Azevedo Sodré
Daniel Bleecker Parke
Eduardo Mazzaferro Ehlers
Haakon Lorentzen
José Eli da Veiga
Luís Antonio Semeghini de Souza
Philippe Prufer
Rachel Biderman Furriela
Rita de Pinho Carvalho
Roberto Silva Waack
 
* ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 8/6/2021

Dr. Paulo Nogueira-Neto (1922-2019) - presidente emérito do WWF-Brasil 

Dr. Paulo Nogueira-Neto foi um dos mais respeitados ambientalistas do país e é considerado um dos pais do ambientalismo brasileiro. E, em 1997, recebeu o "Duke of Edinburgh Conservation Award", a maior distinção oferecida pela Rede WWF, pelos incansáveis serviços prestados à conservação ambiental. 

Bacharel em Direito pela USP (Universidade de São Paulo), em 1945, e bacharel em História Natural, também pela USP, 14 anos depois, foi um dos fundadores do Departamento de Ecologia Geral, no Instituto de Biociências da USP e professor titular emérito da Cadeira de Ecologia Geral na mesma instituição. 

Entre 1973 e 1985, dirigiu a Sema (Secretaria Especial do Meio Ambiente), na época o órgão federal responsável pelo setor, sendo considerado o primeiro ministro do meio ambiente do Brasil. 

Ao longo da vida desempenhou as seguintes funções: membro da Comissão Brundtland de Meio Ambiente e Desenvolvimento das Nações Unidas, que criou o conceito de Desenvolvimento Sustentável, de 1983 a 1986; secretário de Meio Ambiente do Distrito Federal, entre 1985 e 1987); presidente da Fundação Ambiental e Florestal do estado de São Paulo; membro do Conselho de Administração da Cetesb/SP (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo); presidente da Adema-SP (Associação de Defesa do Meio Ambiente - São Paulo), entidade conservacionista; vice-presidente da SOS Mata Atlântica; vice-presidente do International Bee Research Association; membro do International Advisory Group do PP-G7, assessor do World Bank; ex-membro do Board do World Resources Institute.  

Também fez parte da Ordem do Ipiranga, do Governo do Estado de São Paulo, e da Academia Paulista de Letras. E, mesmo depois de se aposentar em 1992, continuou orientando teses de doutorado.  

Recebeu a Ordem Nacional do Mérito Científico, no grau de Grã Cruz, em abril de 1999, no Palácio do Planalto, e a condecoração federal Ordem Nacional do Mérito no grau de comendador foi entregue em novembro de 2006.

Álvaro Antonio Cardoso de Souza

Nascido em Portugal e com graduação em Economia e Administração de Empresas pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), Álvaro Antonio Cardoso de Souza é diretor da AdS - Gestão, Consultoria e Investimentos Ltda.

Membro do Conselho Internacional do WWF International, foi presidente do Conselho Diretor do WWF-Brasil entre 2002 e 2013.

Ex-presidente do Conselho da GOL - Linhas Aéreas Inteligentes, atualmente é presidente do Conselho Deliberativo do Funbio (Fundo Brasileiro para a Biodiversidade), além de integrar o Conselho da Unidas S/A, o Conselho do Banco Triangulo S/A e o Comitê de Auditoria da Ambev.

Desenvolveu sua carreira nas áreas de banco de investimentos em diferentes empresas do Citigroup, onde trabalhou por 32 anos no Brasil e no exterior.

Antonio Fadiga

Formado em Comunicação pela USP (Universidade de São Paulo) e especializado em Marketing na FGV (Fundação Getúlio Vargas), Antonio Fadiga é um dos profissionais de maior destaque na propaganda brasileira.

Além de ter sido indicado para o prêmio Caboré/Meio&Mensagem em "Planejamento", foi eleito "Publicitário do Ano" no Prêmio Colunistas e "Melhor Profissional de Atendimento e Planejamento" pela APP.

Desde 2014 é CEO e sócio da Artplan, reconhecido grupo de comunicação brasileiro. Também foi CEO e sócio da Fischer por 14 anos, acumulando a função de CMO da holding Totalcom e CEO da Rede Fischer (Brasil, Argentina, Colômbia e Portugal), e por 13 anos foi diretor-geral da Young & Rubicam Brasil, além de integrante do board na América Latina.

Trabalhou nas Indústrias Têxteis Santista, chegando à supervisão das áreas de Propaganda e Promoção, além de ter atuado em agências internacionais como BBDO e Leo Burnett.

Ampliou seu conhecimento através de inúmeros cursos de Management & Business em Nova York, Chicago, Boston, Toronto e Munique, além de seminários e congressos nacionais.

Antonio Paulo de Azevedo Sodré

Antonio Paulo de Azevedo Sodré se formou em Economia na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) em 1972 e, dois anos depois, completou o curso de pós-graduação em Administração de Empresas pelo COPPEAD (Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração), da UFRJ. Em 1978 finalizou o mestrado em Economia pela The London School of Economics and Political Sciences (Inglaterra).

Conselheiro do WWF-Brasil desde setembro de 2013, lidera o Comitê de Nomeações. Entre julho de 2014 e julho de 2018, também presidiu o Comitê do Fundo de Transição do Programa Arpa (Áreas Protegidas da Amazônia) e, de dezembro de 2016 até dezembro de 2019, foi presidente do Conselho Deliberativo do WWF-Brasil. 

Em 1983 foi um dos fundadores da Capitaltec Consultoria Econômica e, em 1989, do Banco Brascan, dos quais foi sócio-diretor e presidente, respectivamente, até dezembro de 2005.

Trabalhou na área internacional do Banco de Boston, na área de Corporate Finance do Banco Multiplic, além de ter sido responsável pela área de Mercado de Capitais da Ibrasa Investimentos Brasileiros e superintendente de relações com empresas da Comissão de Valores Mobiliários.

Entre 2006 e 2010, se dedicou ao estudo de Literatura Brasileira e Portuguesa na PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro).

Daniel Bleecker Parke

Daniel Bleecker Parke é sócio da MegaWhat, plataforma de Inteligência em Energia, e membro do Conselho Consultivo da Comerc Energia. Também é conselheiro da WWF América Latina e Caribe e do Instituto do Meio Ambiente da Universidade Estadual de Delaware (EUA).

De 2008 a 2017, foi diretor-geral da Agência Estado e membro do Comitê Executivo do Grupo Estado, além de ter sido diretor regional da Thomson Financial Latin America, entre 2004 e 2008, e de ter montado e gerenciado a unidade da América Latina da Bloomberg, de 1993 a 2004.

Presidiu o Conselho Consultivo da TNC (The Nature Conservancy) do Brasil. De 2001 a 2013, foi diretor do Conselho de Administração da Escola Americana de São Paulo e, entre 2013 e 2017, foi membro do Comitê Executivo global da FISD (Financial Services Division), da Associação da Industria de Software e Informação.

Entre 2015 e 2018 foi presidente da sua fundação filantrópica, São Paulo Education Foundation.

Eduardo Mazzaferro Ehlers

Diretor de graduação do Centro Universitário Senac, Eduardo Mazzaferro Ehlers é formado em engenharia agronômica pela USP (Universidade de São Paulo), concluiu seu mestrado sobre agricultura sustentável em 1994 no programa de pós-graduação em Ciência Ambiental da USP e, em 2003, se tornou doutor pelo mesmo programa com tese sobre recuperação da Mata Atlântica no estado de São Paulo.

Foi consultor do WWF-Brasil, do Banco Mundial, do PNUD (Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento), do Ministério do Meio Ambiente, dentre outras organizações que desenvolvem e apoiam projetos socioambientais.

Participou de conselhos de organizações do terceiro setor, como a Associação de Agricultura Orgânica e a Associação Pró Bocaina, além de ter sido membro do Conselho Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da cidade de São Paulo, do Conselho Superior de Meio Ambiente da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e do Conselho Deliberativo da Estação Ciência, da USP.

Trabalhou no serviço de apoio local da IAF (Fundação Interamericana), organização do governo norteamericano que apoia projetos de desenvolvimento na América Latina.

Como autor ou co-autor, dentre os livros e artigos publicados, merecem destaque: "Agricultura Sustentável: Origens e Perspectivas de Um Novo Paradigma" (1999); capítulo sobre "Agricultura Sustentável" da Agenda 21 Brasileira (2000); "Patrimônio Ambiental Brasileiro" (2003); "O que é Agricultura Sustentável” (2009).

​Haakon Lorentzen

Haakon Lorentzen é formado em Ciências Econômicas pela PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) e graduado em Administração de Empresas pela Harvard University, nos Estados Unidos.

Diretor-presidente da Lorentzen Empreendimentos S.A, holding de investimentos em produtos florestais, transportes marítimos e tecnologia de informação, é também diretor-presidente das seguintes empresas: Companhia de Navegação Norsul, Nebra Participações S.A, Picumnus Participações S.A, Scutellata Participações S.A, Loxosceles Participações S.A, Tiba Participações S.A e PBS Pro Banking Systems S.A.

É diretor vice-presidente da Norbrasa Empreendimentos S.A e presidente do Conselho de Administração da Companhia de Navegação Norsul.

Foi presidente do Conselho de Administração da Carboindustrial S.A. e Provida S.A e membro do Conselho de Administração da Ideiasnet S.A e da Aracruz Celulose S.A.

José Eli da Veiga

José Eli da Veiga é professor titular de Economia da USP (Universidade de São Paulo), pesquisador do Nesa (Núcleo de Economia Socioambiental) e orientador em dois programas de pós-graduação: IRI (Instituto de Relações Internacionais), da USP, e IPE (Instituto de Pesquisas Ecológicas).

Além de artigos em periódicos científicos nacionais e estrangeiros e diversos capítulos de obras coletivas, publicou 20 livros e é colaborador das colunas de opinião do jornal Valor Econômico e da revista Página22.

​Luís Antonio Semeghini de Souza

Formado pela Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo) e admitido na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em 1988, Luís Antonio Semeghini de Souza se tornou mestre em Direito Comercial Internacional pela Notre Dame University, na Inglaterra, em 1991.

Advogado atuante em infraestrutura desde 1988, foi considerado um dos advogados mais proeminentes na área de financiamento de projetos pela Chambers and Partners, na publicação World’s Leading Lawyers.

Atua nas áreas de Direito Bancário, Societário e Financeiro, Mercado de Capitais e Financiamento de Projetos e foi um dos fundadores de Souza, Cescon Avedissian, Barrieu e Flesch Advogados em 2001.

Philippe Prufer

Formado em Economia pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Philippe Prufer possui MBA pela Ross Michigan Business School da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, além de outros cursos e treinamentos em Harvard (EUA) e INSEAD (França).

Foi presidente do Conselho Diretor do WWF-Brasil entre 2013 e 2015 e membro do Conselho do WWF Internacional.

Atualmente é membro dos conselhos da Mangels, Fundação Dom Cabral, Instituto Ayrton Senna e da Ross Michigan Business School. Além de já ter integrado conselhos da Amcham (Brasil e Argentina), Interfarma (Brasil), Caeme (Argentina) e Lincoln American International School (Argentina).

Fundador da GTT (Brasil), Vamida (República Tcheca/Áustria) e investidor da TNH Digital Health (Brasil), atua também como presidente do Conselho da GTT, como Advisor da JGP Health Care Fund (Brasil) e da Global Health Care Advisor for Actis (Reino Unido) e CEO da SKP (Brasil).

De 1988 a 2009 foi executivo da Eli Lily and Company, exercendo várias posições no Brasil, EUA, Argentina e Europa. Seus dois últimos cargos na empresa foram vice-presidente European Mid Size Markets e gerente-geral Brasil/Cone Sul.

Em 2005, foi reconhecido como "Executivo de Valor" no setor Farmacêutico pelo jornal Valor Econômico. No mesmo ano, também recebeu o prêmio "Spirit of Amcham Brasil" e, quatro anos depois, recebeu o prêmio "Wertman Alumni Service Award", da Ross Michigan Business School (EUA).

​Rachel Biderman Furriela

Graduada em Direito na USP (Universidade de São Paulo) em 1990, mestre em Ciências Ambientais, também pela USP, em 1999, Rachel Biderman Furriela foi bolsista do programa de Ciência, Tecnologia e Sociedade na Harvard JFK School of Government em 2009 e, em 2011, se tornou PhD em Administração Pública pela FGV (Fundação Getúlio Vargas).

É vice-presidente sênior das Américas na Conservação Internacional, coordenadora do curso de Gestão de Baixo Carbono e professora no MBA de Gestão da Sustentabilidade na FGV -orientando projetos nos temas: legislação ambiental, mudanças climáticas e compras sustentáveis- e membro do conselho do Instituto de Defesa do Consumidor, Instituto Marina Silva, Fundación Futuro Latino Americano.

De 2008 a 2011, coordenou Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV. Também foi diretora executiva do World Resources Institute no Brasil, fundadora do Observatório do Clima, uma das coordenadoras do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas e presidente do Conselho do Greenpeace Brasil entre 2011 e 2013.

Lecionou Legislação Ambiental e Problemas Ambientais em diferentes universidades em São Paulo e é autora do livro "Democracia, Cidadania e Proteção Ambiental", além de co-autora de livros infantis sobre meio ambiente e sustentabilidade.

​Rita Pinho de Carvalho

Rita Pinho de Carvalho é formada em Design Gráfico pela UEMG (Universidade Estadual de Minas Gerais), com especialização em Gestão Empresarial e Marketing pela Fundação Dom Cabral.

Atualmente trabalha com relações internacionais e negócios internacionais na Fumsoft, uma associação sem fins lucrativos de empresas de TI (Tecnologia da Informação) em Minas Gerais. Anteriormente atuava no setor de empreendedorismo, incubação e aceleração de empresas na mesma instituição.

Possui experiência na área de Comunicação Empresarial e Marketing -atendendo a clientes de empresas de médio e grande porte, coordenando equipes e realização de eventos- e na criação e desenvolvimento de produtos promocionais.

Roberto Silva Waack

Biólogo e mestre em Administração de Empresas pela Faculdade de Administração e Economia da USP (Universidade de São Paulo), com concentração na área da Nova Economia Institucional, Roberto Silva Waack realizou vários cursos de especialização no Brasil e exterior com foco em gestão estratégica, gestão tecnológica e marketing.

Foi presidente do Conselho Deliberativo do WWF-Brasil entre 2015 e 2016. Também foi chairman e integrou o Conselho do FSC (Forest Stewardship Council), além de outras organizações nacionais e internacionais relacionadas à sustentabilidade, mudanças climáticas e florestas.

É fundador da Amata S.A, presidente do Conselho Administrativo da empresa e faz parte do Grupo Orientador da Coalizão Brasil - Clima, Florestas e Agricultura e dos conselhos de organizações como GRI (Global Reporting Initiative), Instituto Ethos, Funbio (Fundo Brasileiro para a Biodiversidade), IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), ISE Bovespa e EPC/FGV (Empresas para o Clima da Fundação Getúlio Vargas).

Ocupou o cargo de presidência da Amata S. A., da Orsa Florestal e dirigiu empresas farmacêuticas como Boehringer Ingelheim, Vallée e Pasteur Mérieux.

DOE AGORA
DOE AGORA