‘É tempo de restaurar’: Hora do Planeta 2022 encerra com chamado à ação conjunta

28 março 2022


Mobilização global chamou a atenção para a necessidade de repensar atitudes e discutir formas de garantir o futuro do planeta

Por WWF-Brasil


Com a participação de mais de 190 países e territórios, a Rede WWF realizou neste sábado (26) a Hora do Planeta 2022. No Brasil, a ação teve como tema #ConstruaNossoFuturo e contou com uma série de atividades gratuitas e online com foco na proteção e na restauração do meio ambiente.
 
“A Hora do Planeta 2022 discutiu de que forma o cenário e os problemas atuais impactam tanto o meio ambiente, quanto as pessoas. A programação mostrou soluções inovadoras e trouxe a juventude para o centro da discussão, porque precisamos da sua coragem e força para cobrar e exigir ações ambiciosas das lideranças, para que de fato elas tomem decisões que protejam o nosso planeta”, diz Giselli Cavalcanti, Estrategista de Campanhas do WWF-Brasil.
 
A mobilização, realizada desde 2007 em todo o mundo, é um chamado à construção de soluções para garantir um futuro mais justo, saudável e harmonioso para todos. 
 
Na mensagem final, o WWF-Brasil convidou toda a sociedade à ação conjunta, lembrando que é tempo de repensar as nossas ações cotidianas e restaurar o meio ambiente. "A Hora do Planeta é um marco de mobilização, mas ações concretas devem ser realizadas todo o ano", lembra Giselli Cavalcanti. 

Programação interativa

Este ano, as atividades da Hora do Planeta começaram com o Cinedebate Amazônia Criadora, que aconteceu nos dias 22 e 23 de março. A ação, realizada em parceria com a Ecofalante, foi uma troca de experiências com os produtores audiovisuais da Amazônia para que o público pudesse conhecer melhor suas realidades e produções. Os vídeos do debate da terça e o da quarta-feira estão disponíveis no canal do WWF-Brasil no Youtube.
 
No sábado (26), o Festival Digital da Hora do Planeta foi realizado das 17h30 às 20h30, com uma programação digital que fez participantes e o público discutirem e refletirem sobre a proteção e restauração da natureza. Você pode ver todas as atrações nesse link do nosso YouTube. 
 
A primeira atividade foi a mesa “Restauração de Ecossistemas: Por que esse é o caminho para um futuro mais saudável e justo?”, que contou a participação de Alice Pataxó (comunicadora e ativista indígena), Flávia Balderi (Associação Copaíba) e Ana Rosa Cyrus (Engajamundo). O debate girou em torno da construção de um presente e um futuro em harmonia com a natureza.
 
Em seguida, um Gameshow testou o conhecimento do público sobre temas ambientais. A atividade foi mediada por Bruno Motta (humorista) e teve a participação de Keilla Vila Flor (historiadora e ativista), Tukimã Pataxó (ativista indígena) e João Manoel (influencer e comunicador dos Escoteiros do Brasil). As perguntas do quiz foram inspiradas na Restaura Natureza, a primeira Olimpíada Brasileira de Restauração de Ecossistemas, e engajaram o público na busca pelas respostas corretas.
 
A última atração da noite foi a peça de teatro "Coronel Mostarda em A Hora do Planeta", do Improclube, coletivo teatral de improviso, criada especialmente para a ação do dia 26 de março. O espetáculo, autoral e interativo, usou a dinâmica do clássico jogo do detetive para conectar o debate ambiental às nossas vidas.

Apagar das luzes

Às 20h30, monumentos e prédios públicos apagaram as luzes para chamar a atenção para o debate ambiental.
 
No Brasil, participaram da ação construções como Cristo Redentor (RJ), Chalé da Pedra (Quixadá - CE), Edifício Matarazzo (SP), Espaço UFMG do Conhecimento (MG), Fonte luminosa da Praça Ari Coelho (MS), as três sedes do Instituto Moreira Salles (RJ, SP e MG), Jardim da Prefeitura Municipal de Campo Grande (MS), MAC (RJ), Monumento aos Pioneiros (MS), Monumento de alusão ao relógio da 14 (MS), Monumento Maria Fumaça (MS), Museu das Minas e dos Metais (MG), Museu Histórico de Santa Catarina (SC), Obelisco (MS), Ponte Octávio Frias de Oliveira (SP), Praça Pantaneira (MS), Teatro Municipal do Rio de Janeiro (RJ) e Viaduto do Chá (SP).
 
No Distrito Federal, o Clube de Astronomia de Brasília aproveitou que prédios como do Congresso Nacional e do STF (Supremo Tribunal Federal) apagaram as luzes para oferecer ao público uma experiência que atraiu muitas famílias para a Praça dos Três Poderes.

Ação global

Ao redor do mundo, a Hora do Planeta contou com a participação de marcos arquitetônicos icônicos, como Sydney Opera House (Austrália), Beijing Phoenix Center (China), Gateway of India (Índia), Coliseu (Itália), Torre Eiffel (França) e Empire State Building (Nova York).
 
Em Genebra, os delegados reunidos para a última rodada de negociações antes da cúpula de biodiversidade da COP15, que ocorrerá na China no final deste ano, também pararam às 20h30 (horário local) em um momento de reflexão sobre o seu papel nesse momento histórico. A COP15 será uma oportunidade para lideranças não só busquem alternativas para interromper, mas também para reverter a perda de biodiversidade até 2030.
 
Nas redes sociais, a Hora do Planeta 2022 gerou mais de 7,8 bilhões de impressões do público, que se mobilizou para discutir a necessidade de repensar nossas práticas para garantir o futuro do planeta.
 

Sobre a Hora do Planeta
É o principal movimento ambiental global da rede WWF. Nascida em Sydney em 2007, a Hora do Planeta cresceu e se tornou um dos maiores movimentos de base do mundo para o meio ambiente, inspirando indivíduos, comunidades, empresas e organizações em mais de 180 países e territórios a tomar ações ambientais tangíveis por mais de uma década.
 
Historicamente, a Hora do Planeta se concentrou na crise climática. Mas, recentemente, se esforçou para trazer à tona a questão premente da perda da natureza. O objetivo é criar um movimento imparável para a natureza, como aconteceu quando o mundo se uniu para enfrentar as mudanças climáticas.

Sobre o WWF-Brasil

O WWF-Brasil é uma ONG brasileira que há 25 anos atua coletivamente com parceiros da sociedade civil, academia, governos e empresas em todo país para combater a degradação socioambiental e defender a vida das pessoas e da natureza. Estamos conectados numa rede interdependente que busca soluções urgentes para a emergência climática. Doe
DOE AGORA
DOE AGORA