| WWF Brasil


 
	© Divulgação / ICMBio

O Panda em Noronha

A relação do WWF com Fernando de Noronha é antiga. Nos anos 1980, o WWF Internacional contribuiu para a criação do Projeto Tamar no arquipélago e anos mais tarde lançou em parceria com o Ibama o Programa de Uso Recreativo (PUR) do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, para a abertura de trilhas, a melhoria da infraestrutura do turismo e a proteção da biodiversidade da área do Parque.

Em 2017, o WWF-Brasil - que desde setembro de 2015 já apoiava ações do Parque Nacional Marinho por meio Programa Marinho - renovou sua presença na ilha graças a parceria do Programa Mudanças Climáticas e Energia com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). É o Projeto Aulas de Energia, que mobiliza moradores e turistas com o objetivo de disseminar conceitos básicos de eficiência energética e informações sobre energias renováveis, com foco na energia solar.

Administrado por uma equipe do WWF-Brasil, o Espaço é totalmente interativo e tem como carro-chefe o passeio de realidade virtual com o óculos Rift (usados em vídeo games), quando o visitante pode ter uma visão de 360 graus do arquipélago, além de “voar” do ponto mais alto, o Morro do Pico, até a Usina Solar Noronha II. Além da realidade virtual, o Espaço ainda oferece jogos interativos, maquetes virtuais, vídeos e um simulador de geração, que também controla toda a luz do ambiente, simulando noite e dia (veja mais informações ao lado).

Além disso, recentemente, foi firmado um termo de cooperação com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) que prevê a ação de erradicação de espécies exóticas, atividades de engajamento com a comunidade e a promoção de pesca sustentável. Houve, inclusive, a doação de uma embarcação para o ICMBio com a finalidade de monitorar e desenvolver ações na área do Parque.
 
	© Divulgação
Conheça o Espaço Aulas de Energia Noronha II
© Divulgação