Consórcio Amazoniar | WWF Brasil

Consórcio Amazoniar



Criar um sistema integrado de gestão ambiental e uso sustentável dos recursos naturais no Sudoeste da Amazônia. Esta é a missão do consórcio Amazoniar, criado em 2003 com a participação de cinco organizações não-governamentais brasileiras - WWF-Brasil (que é o líder do grupo), SOS Amazônia, Kanindé Associação de Defesa Etno-Ambiental, Centro dos Trabahadores da Amazônia - CTA, e FSC Brasil - com o apoio da USAID.
O projeto, com duração prevista de quatro anos, pretende estabelecer uma conexão entre comunidades e paisagens florestais para obter um desenvolvimento ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável nessa região.

O trabalho do Amazoniar é desenvolvido em três eixos e tem como foco as áreas sob proteção do governo (parques nacionais, terras indígenas, reservas extrativistas e estações ecológicas) e seu entorno.  No primeiro deles, o consórcio procura promover a ocupação ordenada do Sudoeste da Amazônia, criar capacidades locais para a gestão dessas áreas protegidas e influenciar as políticas públicas ambientais por meio da produção de conhecimento e da formação social.  Esse trabalho é realizado com professores e multiplicadores, técnicos e gestores de órgãos públicos, lideranças comunitárias e indígenas, bem como outros formadores de opinião e tomadores de decisão.

O segundo eixo de trabalho consiste em influenciar especificamente as políticas públicas florestais, gerando conhecimento técnico e científico e viabilizando a formação em práticas de uso sustentável da floresta, ao mesmo tempo que promove a inclusão social das comunidades locais. O foco do trabalho é o manejo florestal comunitário de uso múltiplo, principalmente com produtos não-madeireiros (como a copaíba, a castanha, a borracha natural, frutos e sementes de palmeiras como a jarina, o murmuru, o patauá e o açaí), mas também com a madeira. Esse trabalho é feito em projetos de asentamentos agro-extrativistas (Resex), de assentamento florestal (PAF), de colonização dirigida (PAD), de colonização (PAE) e de desenolvimento sustentável (PDS)

No terceiro eixo, o objetivo é ampliar o mercado para os produtos sustentáveis e agregar valor a eles ainda na floresta.  Para isso, o Amazoniar promove a capacitação para a autogestão das comunidades locais e a certificação florestal FSC (Forest Stewardship Council ou Conseho de Manejo Florestal), além de apoiar o GPFC - Grupo de Produtores Florestais Comunitários do Acre.
DOE AGORA
DOE AGORA