Dia do Cerrado: Desmatamento acumulado em 2021 aumentou 25% em relação a 2020



10 setembro 2021    
Destruição no Cerrado é destaque dos números do Deter em agosto
© Adriano Gambarini/WWF-Brasil
Segundo o Inpe, o Cerrado teve alertas de desmatamento em 433 km² durante agosto

Por WWF-Brasil


Às vésperas do Dia do Cerrado, 11 de setembro, o sistema Deter, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), divulga os números de destruição do segundo maior bioma brasileiro: 3.774 km² foram desmatados entre 1 de janeiro e 31 de agosto de 2021 -um aumento de 25% em comparação ao mesmo período no ano passado. Na Amazônia Legal, o desmatamento nos primeiros oito meses do ano manteve-se em patamar semelhante a 2020, com a devastação de 6.026km².

No mês de agosto, o Cerrado teve alertas de desmatamento em 433 km² -o que representa um aumento de 136% em comparação ao mesmo mês em 2020. Já na Amazônia, foram desmatados 918 km² em agosto de 2021, um valor 32% abaixo do que foi registrado em agosto do ano passado.

"Os mais recentes dados de desmatamento no Cerrado e na Amazônia confirmam que 2021 se somará aos dois anos anteriores nos recordes de destruição de nossa natureza nesta década", afirma Edegar de Oliveira Rosa, diretor de Conservação e Restauração de Ecossistemas do WWF-Brasil.

"São três anos consecutivos de destruição ambiental sem precedentes no passado recente do país que nos colocam muito perto do ponto de desequilíbrio dos sistemas naturais que garantem a segurança energética, hídrica e alimentar do Brasil. O que está acontecendo no Brasil é extremamente grave e poderá ter consequências duradouras e de difícil reversão no futuro", alerta.

Apesar da redução em relação a agosto do ano passado, a situação do desmatamento na Amazônia preocupa, pois nos meses de março, abril, maio e junho deste ano, os números foram os mais altos do registro histórico. Assim, apesar da queda em agosto, o desmatamento acumulado nos oito primeiros meses de 2021 ainda se mantém no alto patamar registrado no mesmo período em 2020.

Há três anos o desmatamento realizado nos oito primeiros meses de cada ano se mantém em altos níveis na Amazônia. O período corresponde ao da atual gestão do governo federal. Entre janeiro e agosto, foram desmatados 4,2 mil km² em 2016, 2 mil km² em 2017 e 3,3 mil km² em 2018. Daí em diante, os números dispararam: 6,41 mil km², 6,09 mil km² e 6,02 mil km² em 2019, 2020 e 2021, respectivamente.
Destruição no Cerrado é destaque dos números do Deter em agosto
© Adriano Gambarini/WWF-Brasil Enlarge
Área de desmatamento em Terra Indígena em Rondônia
© Marizilda Cruppe / WWF Enlarge
Desmatamento na Amazônia
© Araquém Alcântara/WWF-Brasil Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA