Cartilha aborda prevenção à Covid-19 para trabalhadores rurais



13 agosto 2021    
Capa da cartilha
Capa da cartilha "Covid-19 - Protocolo de Prevenção", que contém orientações voltadas para a agricultura familiar e povos tradicionais
© Idesam / WWF-Brasil

Gratuita, publicação idealizada por Idesam e WWF-Brasil já está disponível para download

Por Comunicação Social - Idesam


Mesmo passado mais de um ano da pandemia de covid-19 e diante do avanço sensível da vacinação, a população brasileira segue sob ameaça sanitária. No campo, a presença do coronavírus sacudiu a rotina de quem depende da própria produção para a sobrevivência de si e de seus familiares – o que levou o Idesam (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia) e o WWF-Brasil a elaborarem um guia para a retomada segura das atividades.
 
Intitulada "Covid-19 - Protocolo de Prevenção", a cartilha reúne, em 32 páginas, orientações específicas para a ATER (Assistência Técnica e Extensão Rural) voltadas para a agricultura familiar e povos tradicionais. A obra é assinada por Marina Yasbek Reia, coordenadora de projetos em Apuí pelo Idesam, com colaboração de Larissa Barbosa e Otavio Ferrarim Giatti, técnicos da Rede Maniva de Agroecologia, e revisão de Henrique Santiago, analista de Conservação Sênior do WWF-Brasil.
 
O guia, que tem caráter educativo, responde perguntas que vão desde a importância do isolamento social e da lavagem das mãos até o que pode ser feito para não desenvolver a Covid-19 no campo. “A cartilha nasceu quando identificamos a necessidade de adaptar, socializar e criar formas de manter a agenda de ATER no campo, mesmo em tempos de pandemia. Com a chegada da Covid-19 e suas restrições, o projeto, como muitos, se viu obrigado a adaptar sua agenda de campo e, ao mesmo tempo, manter o apoio às cadeias de valor e famílias apoiadas. Assim, a obra também foi criada para guiar e compartilhar com os demais atores de ATER essas novas possibilidades de acompanhamento”, afirma Marina Reia, a autora.
 
WWF-Brasil e Idesam atuaram juntos na concepção da cartilha, cujo conteúdo foi moldado de acordo com o público-alvo. “Nós nos preocupamos bastante em trazer uma linguagem de fácil e amplo acesso, com figuras e desenhos representativos de agricultores familiares e extrativistas, principalmente”, ressalta Marina.
 
Responsável pela revisão da obra, Henrique Santiago ressalta que dois pilares foram levados em consideração para a criação do livreto: (1) recomendações de segurança sanitária que fossem bem sedimentadas em referências técnico-científicas seguras; e (2) a ideia de que a produção extrativista e familiar não pode parar por completo, dada sua importância para a produção de alimentos e para a própria segurança alimentar das famílias produtoras.
 
“A intenção é de levar informações sobre recomendações simples para cuidados sanitários em diferentes etapas do processo produtivo extrativista e da agricultura familiar, em especial no interior do Amazonas. É ainda parte de uma reflexão de que, mesmo em um cenário mais atenuado na pandemia em algumas regiões, os cuidados devem ser mantidos por mais tempo”, diz Henrique Santiago, analista de Conservação Sênior do WWF-Brasil e revisor da cartilha.

É propósito principal das instituições idealizadoras da publicação que as ações de ATER tenham continuidade de forma segura, mas dentro das possibilidades de grupos e territórios, seja por profissionais de produção ou de área técnica.
 
Distribuição
A cartilha "Covid-19 - Protocolo de Prevenção" está disponível em formato virtual para leitura ou download, no site do Idesam. Para o público do campo, no entanto, é planejada uma remessa de exemplares impressos. “Estamos buscando a impressão de cerca de 300 unidades, para serem distribuídas no âmbito de famílias extrativistas e de agricultura familiar do Amazonas”, finaliza Henrique, ressaltando que o plano ainda carece de ajustes e cronograma para execução.

Capa da cartilha
Capa da cartilha "Covid-19 - Protocolo de Prevenção", que contém orientações voltadas para a agricultura familiar e povos tradicionais
© Idesam / WWF-Brasil Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA