É incerto o destino do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros | WWF Brasil

É incerto o destino do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

05 Setembro 2016
por Jaime Gesisky

Incerto, o futuro do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros depende neste momento de uma decisão do governo de Goiás. Um decreto que amplia a área protegida dos atuais 65,5 mil hectares para 242 mil hectares, triplicando a proteção de um dos últimos remanescentes da biodiversidade nativa do Cerrado, está pronto para a assinatura do presidente da República, Michel Temer.

Mas o governo do estado quer prorrogar a decisão por mais seis meses.

Organizações ambientalistas se mobilizam pela assinatura imediata do decreto de ampliação do parque, já aprovado pela Casa Civil da Presidência da República, à espera de um sinal verde do governador de Goiás.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros protege uma área de extrema importância ecológica do Cerrado de altitude. A paisagem é um mosaico diversas formações vegetais, com centenas de nascentes e cursos d água, rochas com mais de um bilhão de anos e animais ameaçados de extinção.

Em 2001, o parque foi declarado Patrimônio Mundial Natural pela UNESCO. Além da conservação, ocorrem na área centenas de pesquisas científicas, fundamentais para entender a biodiversidade, além de projetos de educação ambiental e a visitação pública.

São cerca de 40 mil visitantes por ano, que ajudam a movimentar a economia dos municípios que circundam o parque. A ampliação poderá abrir novas frentes para o desenvolvimento regional com base na conservação da natureza.

A unidade de conservação foi criada no fim do mandato de Juscelino Kubitschek, em 1961, como Parque Nacional do Tocantins. Na época, a área protegida tinha 625 mil hectares, quase dez vezes maior do que o atual. Mas foi reduzido em duas ocasiões.

Em 1972, quando o parque passou a se chamar Chapada dos Veadeiros, seu tamanho caiu para 171 mil hectares. No início da década de 1980, caiu para os atuais 65,5 mil hectares devido à construção da rodovia GO-239.

A ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é uma iniciativa que tem como objetivo aumentar a proteção do Cerrado – bioma ameaçado principalmente pelo avanço das grandes lavouras de soja, que deixam para trás um rastro de desmatamento que aumenta as emissões de gases de efeito estufa e cria paisagens desoladoras.

Área de Proteção

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é cercado pela Área de Proteção Ambiental (APA) de Pouso Alto, que soma 872 mil hectares. 

Foi criada pelo Decreto nº 5.419, de 7 de maio de 2001, do governo do estado de Goiás, com o objetivo fomentar o desenvolvimento sustentável e preservar a flora, a fauna, os mananciais, a geologia e os cenários naturais da região de Pouso Alto, localizada na Chapada dos Veadeiros, no nordeste goiano.

Integram a APA os municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Teresina de Goiás, Colinas do Sul, São João d'Aliança e Nova Roma.

Movimentos contrários à ampliação do parque na região se mobilizam para mudar a composição do Conselho Consultivo da Área de Proteção Ambiental (APA).

A estratégia é para reduzir no conselho a participação de setores ligados ao turismo regional, pequenos agricultores, extrativistas, quilombolas (Kalungas) – que habitam a região há séculos - e cientistas.

Nesta terça-feira (6), em Colinas do Sul (GO), haverá uma reunião em que a composição do conselho poderá ser alterada para atender aos interesses contrários à ampliação do parque de Veadeiros.
 

Comentários

blog comments powered by Disqus