Argentina, Brasil e Paraguai se unem para reflorestar a Mata Atlântica do Alto Paraná | WWF Brasil

Argentina, Brasil e Paraguai se unem para reflorestar a Mata Atlântica do Alto Paraná



02 outubro 2020    
Argentina, Brasil e Paraguai se unem para reflorestar a Mata Atlântica do Alto Paraná
© WWF-Brasil
Iniciativa busca gerar vínculos com organizações e instituições que estejam reflorestando, e assim potencializá-las mutualmente

Por WWF-Brasil


Mais de 100 participantes de mais de 33 organizações do setor governamental e não governamental, institutos de pesquisa, empresas, profissionais independentes e comunidades locais dos três países participaram do segundo encontro da Rede Trinacional de Restauração da Mata Atlântica do Alto Paraná, que foi lançada em 2019.

A Rede, impulsionada pela Fundación Vida Silvestre Argentina e os escritórios WWF do Brasil e Paraguai, inspiradas no sucesso do Pacto (Pacto pela Restauração da Mata Atlântica) e da Rede de Gestão do Corredor do Rio Paraná, busca concentrar esforços de diversos setores para impulsar ações organizadas, promover a função dos atores regionais e aumentar as oportunidades e a escala dos projetos de restauração e  conservação, mobilizados pelo estado crítico de degradação dessa ecorregião.

Atualmente, somente 7,9% da cobertura original da Mata Atlântica do Alto Paraná é conservada. Esta ecorregião abrange os países da Argentina, Brasil e Paraguai. Apesar do declínio drástico, a ecorregião ainda abriga uma diversidade muito elevada de espécies de flora e fauna, e oferece benefícios fundamentais para o desenvolvimento e a qualidade de vida da população, conhecidos como serviços ambientais. “Esta situação dramática, mas promissora, despertou o interesse de diferentes grupos e organizações, formais e não formais, em trabalhar na recuperação da paisagem florestal e na necessidade de gerar sinergias para um maior impacto na paisagem”, disse Oscar Rodas, diretor de Mudanças Climáticas do WWF Paraguai.

“Os esforços de restauração da Mata Atlântica ou da Floresta Paranaense ocorrem de forma dispersa e com pouco diálogo entre as partes interessadas. Por meio da Rede de Restauração Trinacional, pretendemos nos unir e buscar aumentar os incentivos e o acesso a oportunidades de financiamento", acrescentou Claudia Amicone, especialista em Restauração e Comunidade da Fundación Vida Silvestre.

Daniel Venturi, analista de Conservação e Restauração do WWF Brasil, destacou que “ser capaz de gerar um espaço de diálogo, tornar visíveis experiências e iniciativas, fortalecer compromissos e acordos nacionais e internacionais e ter maior acesso a oportunidades de financiamento para a realização de ações de restauração com uma visão transfronteiriça são os benefícios que poderemos alcançar com o trabalho em rede”.

Vários líderes da região participaram do encontro, realizado no dia 16 de setembro de forma virtual. Pela manhã, Trevor Walter, coordenador de Paisagens do WWF Chile e da Aliança Sul-americana para Florestas e Restauração, apresentou a abordagem de restauração de paisagens florestais no contexto internacional, e a seguir Lucy Aquino, diretora do WWF Paraguai, Edgar de Oliveira, diretor de Conservação e Restauração de Ecossistemas do WWF-Brasil, e Manuel Jaramillo, diretor Geral da Fundación Vida Silvestre Argentina, apresentaram um resumo dos mais de 16 anos de trabalho no âmbito do Programa Trinacional para a Conservação da Mata Atlântica.

Os interessados em ingressar na Rede Trinacional para a Restauração da Mata Atlântica do Alto Paraná podem solicitar mais informações para o e-mail: redetrinacional@gmail.com

Resultados do encontro
Contamos com a participação de 127 pessoas da Argentina, Brasil, Paraguai e até mesmo Chile, Equador, Espanha, Estados Unidos e Alemanha. Mais da metade eram novos atores que ainda não haviam participado de nenhum encontro da Rede. Tivemos atores de diversas categorias institucionais como empresas, governamental, ONGs, Instituições de pesquisa e comunidades locais.
 


Esses atores demonstraram motivações de participação da Rede relacionadas principalmente a obtenção de conhecimentos e experiencias de restauração e apoio a criação de políticas públicas a nível nacional e trinacional. 



O intercâmbio de conhecimentos foi justamente um dos pontos abordados pelo encontro, onde atores que já demonstraram a intenção de aderir a rede e que já trabalham a nível internacional apresentaram algumas de suas perspectivas e resultados.  
Argentina, Brasil e Paraguai se unem para reflorestar a Mata Atlântica do Alto Paraná
© WWF-Brasil Enlarge
Fundação Vida Silvestre Argentina, WWF-Brasil e WWF Paraguai promovem Rede Trinacional de Restauração da Mata Atlântica do Alto Paraná
© Reprodução/WWF-Brasil Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA