Organizações reafirmam compromisso de defesa do Cerrado | WWF Brasil

Organizações reafirmam compromisso de defesa do Cerrado



16 Setembro 2019    
Pedro Silva é líder Xacriabá da Aldeia Sumaré
© Marcus Desimoni/WWF-Brasil
Documento veio a público com o fim do Encontro dos Povos do Cerrado

Com o fim do IX Encontro dos Povos, que ocorreu de 11 a 14 de setembro em Brasília, a Rede Cerrado, da qual o WWF-Brasil faz parte, divulgou uma carta na qual todas as organizações vinculadas reafirmam seu compromisso de defesa do bioma. O texto final é resultado de diversas discussões ocorridas entre os participantes do Encontro. 
 
O analista de Conservação do WWF-Brasil, Kolbe Soares, comemora a divulgação do documento conjunto. “O Cerrado possui uma riqueza muito grande de recursos naturais e eles vêm sendo muito ameaçado pelos altos índices de desmatamento. A união de diversas organizações na defesa do bioma é essencial”, afirma.

“Os povos e comunidades tradicionais vivem e dependem desse bioma há milhares de anos e sempre fizeram e fazem o uso biodiversidade de maneira a manter o Cerrado em pé e ao mesmo tempo promover o desenvolvimento socioeconômico. Eles contribuem essencialmente para a preservação e conservação do bioma, fazendo o aproveitamento sustentável dos recursos e gerando renda local e fortalecimento da economia regional”, completa.
 

 
Leia abaixo a íntegra da carta da Rede Cerrado:
 
A Rede Cerrado, articulação entre entidades sem fins lucrativos, fundada em 1992 durante o Fórum Global 92, como resultado da assinatura do “Tratado dos Cerrados”, realizadora do IX Encontro e Feira dos Povos do Cerrado, suas entidades filiadas e organizações de base comunitária que compõem seu alicerce de atuação, povos indígenas, comunidades quilombolas, geraizeiros/as, raizeiras/os, veredeiros/as, quebradeiras de coco babaçu, vazanteiros/as, retireiros/as do Araguaia, agroextrativistas, agricultores/as familiares, reunidos em Brasília-DF, entre os dia 11 a 14 de setembro de 2019, reafirmamos nosso compromisso na defesa do Cerrado e de seus povos.
Habitamos a savana mais biodiversa do mundo, o segundo maior Bioma do Brasil. Berço das águas. Somos cerca de 80 povos indígenas, centenas de comunidades quilombolas, milhares de povos e comunidades tradicionais, agricultores/as, agroextrativistas, moradores de cidades, urbanas e rurais. Somos a resistência, somos o próprio Cerrado.
A defesa do Cerrado é também o combate a toda forma de violação de direitos, incluindo o direito ao meio ambiente, para esta e futuras gerações; o direito aos territórios de povos indígenas, comunidades quilombolas, povos e comunidades tradicionais; o direito ao acesso à água, em quantidade e qualidade; o direito à igualdade de tratamento, especialmente na garantia dos direitos das mulheres e reconhecimento do papel destas na conservação do Cerrado e manutenção da vida.
O Cerrado possui raízes longas e profundas, capazes de sustentar árvores durante meses sem chuvas, nutrindo e conservando a vida. Assim é a Rede Cerrado, com raízes fincadas em cada Território Tradicional que existe no Bioma, nutrindo e mantendo a vida de seus povos, seus modos de vida, sua cultura e o próprio Cerrado.
Lutamos pela vida!
As lutas são travadas em diversas frentes e de formas distintas. Cada povo, cada território, cada organização que compõem a Rede Cerrado, têm suas formas próprias de realizar suas lutas, mas como Rede Cerrado, movimento unificador de forças, de batalhas, de conquistas, propagamos que a luta seja feita em suas bases, que possamos aprofundar o debate. Difundir a defesa do Cerrado está na garantia dos Territórios Tradicionais, que a Rede Cerrado é uma agregadora, acolhedora e irradiadora das lutas de seus povos.
Diante dos retrocessos, do incentivo à violência contra os povos indígenas, comunidades quilombolas, povos e comunidades tradicionais, do aumento da devastação do Cerrado, invasão de Territórios Tradicionais, abusiva liberação e uso de agrotóxicos, e ameaças contra a vida de lideranças comunitárias, nos posicionamos contra toda e qualquer violação de Direitos Humanos.
Os Povos do Cerrado não vão se intimidar, nós seguiremos mostrando para a sociedade brasileira e para o mundo a importância da sociobiodiversidade, da cultura dos povos e comunidades tradicionais para a conservação do Cerrado.
Pelo Cerrado Vivo continuaremos reunidos todos os dias, em marcha e em luta!
Viva o Cerrado!
Pedro Silva é líder Xacriabá da Aldeia Sumaré
© Marcus Desimoni/WWF-Brasil Enlarge
Chuveirinho, Paepalanthus chiquitensis Herzog
© Marcelo Trovó Lopes de Oliveira Enlarge
Mosaico Sertão Veredas
© Bento Viana Enlarge
Festa popular típica dos povos do Cerrado
© André Dib/WWF-Brasil Enlarge
Os frutos nativos do Cerrado geram desenvolvimento sustentável e renda para as comunidades que vivem do agroextrativismo
© Marcus Desimoni/WWF-Brasil Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA