Países da América Latina se unem para salvar as onças-pintadas | WWF Brasil

Países da América Latina se unem para salvar as onças-pintadas



29 Novembro 2018    
Onça dormindo em um galho de árvore
A onça-pintada é o maior carnívoro da América Latina. No entanto, 50% de seu habitat original já foi perdido e as populações da espécie estão em declínio
© Michel Gunther / WWF
Em um compromisso global sem precedentes para salvar a onça-pintada, as principais organizações internacionais de conservação e 14 países se uniram para lançar o Plano de Conservação Onça-Pintada 2030 para as Américas. O projeto foi lançado durante 14ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP-14), no Egito, e será apresentado oficialmente no Brasil, nesta quinta-feira 29 de novembro, em Foz do Iguaçu, uma das regiões prioritárias na conservação da espécie.
 
Desenvolvido em um momento crítico para o futuro do maior felino selvagem das Américas, o projeto visa fortalecer o Corredor da Onça-Pintada que vai do México à Argentina, assegurando 30 regiões prioritárias de conservação da onça até o ano de 2030. A iniciativa é focada em abrir um novo caminho para fortalecer a cooperação internacional e a conscientização das iniciativas de proteção da onça-pintada, incluindo aquelas que reduzem o conflito homem-onça. O projeto conecta e protege os habitats naturais de onça-pintada, e estimulam oportunidades de desenvolvimento sustentável, ecoturismo, comunidades e povos indígenas para melhorar o bem-estar, qualidade de vida e promover a coexistência com a espécie.
 
29 de novembro – Dia Nacional e Internacional da Onça-Pintada 
 
A criação do Dia Internacional da Onça-Pintada foi anunciada na COP-14 pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), WWF, Wildlife Conservation Society (WCS), Panthera e representantes dos governos da América Latina. Comemorado anualmente em 29 de novembro, este dia aumentará a conscientização sobre as ameaças enfrentadas pela espécie, esforços de conservação garantindo sua sobrevivência e o papel da onça como uma espécie-chave cuja presença é o principal indicador de um ecossistema saudável, ou seja, é a base para um futuro sustentável tanto para a vida selvagem quanto para as pessoas.
 
Segundo o Ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, o Brasil está totalmente comprometido em proteger a onça-pintada. “Queremos aumentar a conscientização pública e promover ações integradas, e também estabelecemos o Dia Nacional da Onça-Pintada, que será comemorado também em 29 de novembro”, comentou o ministro.
 
O Brasil é o país com maior população de onças-pintadas no mundo. Porém, na Mata Atlântica, é onde a espécie corre maior risco extinção. “Por um lado, temos a maior população e por outro temos também a maior ameaça para a onça-pintada que é a perda de habitat natural. Se nada mudar em pouco tempo a espécie estará completamente extinta na Mata Atlântica. Essa dualidade faz o Brasil ter papel de extrema importância para a preservação das onças e de toda a biodiversidade na América Latina”, afirma Felipe Feliciani, analista de conservação do WWF-Brasil.
 
De acordo com o Chefe de Biodiversidade e Ecossistemas do PNUD, Midori Paxton, o Plano de Conservação da Onça-Pintada para as Américas 2030 representa o tipo de parceria inovadora que é essencial para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidos pela ONU.
 
“Ao unir os governos dos países, o setor privado, a sociedade civil e parceiros internacionais, o plano ajudará a proteger os corredores-chave da onça-pintada de forma a fortalecer a existência sustentável das comunidades locais além de abrir novas oportunidades de negócios para o ecoturismo e agricultura sustentável”, afirma Midori Paxton.
 
O Diretor Executivo da Panthera Conservation Science, Howard Quigley, acredita que o projeto representa um verdadeiro marco para o futuro da onça-pintada. “O Plano da Onça-Pintada 2030 dá vida nova à conservação da onça-pintada, proporcionando visão e soluções reais para o mundo proteger essas espécies culturalmente icônicas e ecologicamente essenciais, ao mesmo tempo em que cria enormes oportunidades econômicas e um futuro sustentável para todos. Este compromisso global inédito foca um projeto de conservação fundamental para as onças, o que é frequentemente negligenciado”, diz Howard Quigley. 
 
Conservar a onça-pintada transcende a intenção de preservar uma única espécie. A conservação bem-sucedida da onça-pintada mantém florestas, carbono, biodiversidade, bacias hidrográficas e patrimônio nacional e cultural equilibrados. 
 
A realização deste projeto requer planejamento e gerenciamento visionário em diversos setores como, por exemplo, agricultura, silvicultura, infraestrutura e biodiversidade. Ao mesmo tempo que busca o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), do Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020 e as Metas Aichi. A amplitude do plano mostra o papel crucial da onça-pintada na conservação da biodiversidade, fato que é destacado na celebração do Dia Internacional da onça-pintada.
 
A onça-pintada é o maior carnívoro da América Latina. No entanto, 50% de seu habitat original foi perdido e as populações da espécie estão em declínio devido à caça ilegal e a perda do habitat. Devido a esse declínio, ela foi extinta em El Salvador e no Uruguai.
 
Sobre a COP 14
A Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) foi aberta para assinatura na Cúpula da Terra no Rio de Janeiro em 5 de junho de 1992 e entrou em vigor em 29 de dezembro de 1993. A CDB tem três objetivos principais: a conservação da diversidade biológica (ou biodiversidade); o uso sustentável de seus componentes; e a partilha justa e equitativa dos benefícios decorrentes dos recursos genéticos. Seu objetivo é desenvolver estratégias nacionais para a conservação e uso sustentável da diversidade biológica. Muitas vezes, é visto como o documento chave em relação ao desenvolvimento sustentável. Para mais informações, visite: https://www.cbd.int/
 
Sobre a Panthera
A Panthera, fundada em 2006, dedica-se exclusivamente à preservação de felinos selvagens e seu papel fundamental nos ecossistemas do mundo. A equipe de biólogos da Panthera, especialistas em aplicação da lei e defensores de felinos selvagens desenvolve estratégias inovadoras baseadas na melhor ciência disponível para proteger chitas, onças, leopardos, leões, pumas, leopardos e tigres e suas vastas paisagens. Em 36 países ao redor do mundo, a Panthera trabalha com uma ampla variedade de partes interessadas para reduzir ou eliminar as ameaças mais urgentes a felinos selvagens, assegurando seu futuro e o nosso. Visite panthera.org
 
Sobre o PNUD
O PNUD faz parcerias com pessoas de todos os níveis da sociedade para ajudar a construir nações que possam resistir a crises e impulsionar e sustentar o tipo de crescimento que melhora a qualidade de vida de todos. No terreno em quase 170 países e territórios, oferecemos uma perspectiva global e visão local para ajudar a capacitar vidas e construir nações resilientes.
 
Sobre a WCS
A Wildlife Conservation Society salva animais e vegetações selvagens em todo o mundo através da ciência, ações de conservação, educação e inspirando as pessoas a valorizar a natureza. A WCS prevê um mundo onde a vida selvagem prospera em terras e mares saudáveis, valorizada por sociedades que abraçam e se beneficiam da diversidade e integridade da vida na Terra. Para alcançar nossa missão, a WCS, sediada no Zoológico do Bronx, aproveita o poder de seu Programa Global de Conservação em mais de 60 países e em todos os oceanos do mundo e seus cinco parques naturais na cidade de Nova York, visitados por 4 milhões de pessoas anualmente. A WCS combina sua experiência no campo, zoológicos e aquários para alcançar sua missão de conservação. Visite www.wcs.org e siga-nos no @WCSNewsroom.
 
Sobre o WWF-Brasil
O WWF-Brasil é uma organização não-governamental brasileira e sem fins lucrativos que trabalha para mudar a atual trajetória de degradação ambiental e promover um futuro onde sociedade e natureza vivam em harmonia. Criada em 1996, atua em todo Brasil e integra a Rede WWF (Fundo Mundial para a Natureza), presente em mais de 100 países. Apoie nosso trabalho em www.wwf.org.br/doe  
 
 
 
Onça dormindo em um galho de árvore
A onça-pintada é o maior carnívoro da América Latina. No entanto, 50% de seu habitat original já foi perdido e as populações da espécie estão em declínio
© Michel Gunther / WWF Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA