WWF-Brasil e Tanac/Tanagro promovem ações especiais na bacia do rio Camaquã | WWF Brasil

WWF-Brasil e Tanac/Tanagro promovem ações especiais na bacia do rio Camaquã



16 Abril 2019   |  
Grupo de pessoas durante a 2ª Expedição do Rio Camaquã
© Diogo Versari
por Douglas Santos

O projeto "Conservação e Restauração de Florestas no bioma da Mata Atlântica", fruto da parceria entre o WWF-Brasil e a Tanac/Tanagro que acontece desde 2016 na bacia do rio Camaquã/RS, realizou uma série de atividades nos últimos dias. Entre as ações realizadas está a 2ª Expedição pelo Rio Camaquã e a realização da Iª Mostra de Iniciação Científica de Camaquã (RS).

A 2ª Expedição ao Rio Camaquã, organizada pelo Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Camaquã, com apoio do WWF-Brasil e da Tanac/Tanagro aconteceu entre os dias 22 e 24 de março. O objetivo foi observar e documentar a atual condição do rio Camaquã, engajando a sociedade sobre as oportunidades e ameaças na Bacia Camaquã, sobre situação da mata ciliar, florestas nativas, assoreamento, desmatamento, pesca predatória, dentre outros ameaças e oportunidades de ações coletivas para conservação e recuperação da bacia. Foram reunidas mais de 30 pessoas entre representantes de universidades públicas e privadas, poder público, comunidades locaos e instituições privadas.

A Expedição foi aberta em sessão Solene na Câmara de Vereadores de Amaral Ferrador. Na ocasião os vereados comentaram sobre a relevância da expedição como forma de alertar as populações locais sobre os riscos aos quais a bacia está exposta, entre elas o desmatamento das matas ciliares. A expedição partiu da cidade de Amaral Ferrador e seguiu até a foz do rio Camaquã.

“ O engajamento dos atores da Bacia do Camaquã, por meio da vivência prática pelo rio, possibilita uma visão mais ampla da paisagem, criando condições para a transformação das pessoas e das instituições para propor sinergias em ações de recuperação da bacia” Daniel Venturi, Analista de Conservação do Programa Mata Atlântica do WWF-Brasil.

Iª Mostra de Iniciação Científica

A Iª Mostra de Iniciação Científica de Boas Práticas Ambientais destinou R$ 15 mil em projetos de iniciação científica para alunos da pública de ensino com idades entre 11 e 14 anos. O evento foi realizado no auditório Maria Justo Sostruznik, da Secretaria Especial da Mulher, do Trabalho e Desenvolvimento Social - SEMTDS de Camaquã, no dia 26 de março. O objetivo foi identificar as melhores iniciativas em Boas Práticas Ambientais nos municípios integrantes do Projeto, fruto da parceria entre o WWF-Brasil e TANAC/TANAGRO.

Os trabalhos seguem os seguintes eixos: Boas práticas agrícolas, Conservação de áreas protegidas, resíduos sólidos/orgânicos, Ações de Educação Ambiental. Ao todo foram sete projetos participantes.
“Não tem preço o que estes estudantes levam para a vida. Fomentar a parte prática ajudará que estes alunos projetem o futuro”, diz o biólogo do Departamento de Educação Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente, Rafael Sofia.

“A importância do evento está em trazer à reflexão os temas ambientais relevantes discutidos no cenário atual. A maior lição é que precisamos sempre investir esforços na educação das futuras gerações. Só assim conseguiremos fazer a mudança necessária. Hoje, os alunos deram uma aula de educação ambiental e de cidadania”, afirma Diogo Versari, consultor do projeto.

Nessa primeira etapa, quatro projetos foram selecionados e receberam aporte para o desenvolvimento das atividades. Porém, o WWF-Brasil, a Tanac/Tanagro e demais parceiros ainda buscam parceiros para viabilizar o financiamento de todos os inscritos.
Grupo de pessoas durante a 2ª Expedição do Rio Camaquã
© Diogo Versari Enlarge
2ª Expedição do rio Camaquã
© Diogo Versari Enlarge
Margem do rio Camaquã no Rio Grande do Sul
© Diogo Versari Enlarge

Comentários

blog comments powered by Disqus
DOE AGORA
DOE AGORA