Inaugurada em Londres a exposição “Water Stories”



22 março 2016    
A relação entre os moradores e os rios do Pantanal é tema da exposição.
© Mustafah Abdulaziz/WWF-Brasil
A relação do homem com a água, as belezas e os problemas ambientais do Pantanal são tema da exposição “Water Stories” inaugurada hoje, dia 22 de março, no The Scoop, em More London Riverside, em Londres.
As imagens são resultado do trabalho do premiado fotógrafo norte-americano Mustafah Abdulaziz, que esteve em outubro de 2015 no Mato Grosso para retratar o trabalho do WWF-Brasil na área das Cabeceiras do Pantanal – local onde nascem 30% das águas que alimentam a planície e a biodiversidade pantaneira e garantem o abastecimento de municípios onde vivem e trabalham pelo menos três milhões de pessoas.

Desde 2012, o WWF-Brasil trabalha na conservação e recuperação de rios e nascentes das Cabeceiras do Pantanal. Em 2015 foi lançado o Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal, iniciativa que tem por objetivo conservar mais de 700 quilômetros de rios e recuperar pelo menos 50 nascentes de uma área percorrida pelo rio Paraguai e afluentes como Sepotuba, Cabaçal e Jauru.

Saiba mais sobre a exposição

Em “Water Stories”, o fotógrafo retratou o trabalho realizado pela rede WWF em cinco bacias hidrográficas: do rio Paraguai (Pantanal); Yangtze, na China; Ganges, na Índia, Mekong, que percorre parte da China, Laos, Tailândia, Camboja e Vietnã; Ruaha e Mara, no Quênia e Tanzânia. Essas iniciativas, contaram com o apoio do Programa HSBC pela Água que destinou US$ 100 milhões em cinco anos. As ações devem beneficiar um milhão de pessoas ao redor do mundo.

Abdulaziz vive atualmente em Berlim, mas desde 2011 trabalha no projeto “Water”, percorrendo o planeta para retratar imagens relacionadas à conservação da água, sua importância para os seres humanos e situações de crise hídrica. Seu projeto recebe apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), WaterAid e VSCO (Empresa de tecnologia e filmes fotográficos). Em 2012 foi eleito como uma das melhores promessas da fotografia, pela revista Photo District News (PDN), e em 2015 foi o vencedor do prêmio Syngenta de melhor fotografia.
 
“Retratar o Brasil neste momento é muito importante porque temos de um lado São Paulo que está enfrentando a pior crise de escassez de água de sua história e, por outro um estado que tem água em abundância como o Mato Grosso, mas que se não começar a cuidar de seus rios e nascentes poderá sofrer crises hídricas no futuro próximo”, diz Abdulaziz. “Essa exposição fotográfica vai servir como alerta para que todos entendam a necessidade de cuidar das águas mesmo que aparentemente elas sejam fartas”, completa.

LocalThe Scoop, em More London Riverside, em Londres
Data: de 22 de março a 10 de aabril

O Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal

 A iniciativa foi idealizada pelo WWF-Brasil em 2012, quando um estudo - realizado em parceria com o HSBC, a The Nature Conservancy (TNC), o Centro de Pesquisas do Pantanal, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) e a Carterpillar - mostrou que a área das Cabeceiras estava em alto risco ecológico.
 
O Pacto é uma aliança entre o governo do estado e 25 prefeituras de Mato Grosso, empresas e a sociedade civil organizada. Ao aderir, voluntariamente, cada instituição opta por implementar em seu município pelo menos três ações que preservem as nascentes e os rios, como, a recuperação de áreas degradadas, recuperação de nascentes, recuperação de matas ciliares, melhoria da qualidade da água dos rios, adequação ambiental de estradas rurais e estaduais, melhoria do saneamento básico ou até mesmo a troca de experiências de educação ambiental existentes na região
 
A região das Cabeceiras do Pantanal abrange 25 municípios do Mato Grosso, sendo eles: Alto Paraguai, Araputanga, Arenápolis, Barra do Bugres, Cáceres, Curvelândia, Denise, Diamantino, Figueirópolis D´Oeste, Glória D´Oeste, Indiavaí, Jauru, Lambari D’Oeste, Mirassol D’Oeste, Nortelândia, Nova Marilândia, Nova Olímpia, Porto Esperidião, Porto Estrela, Reserva do Cabaçal, Rio Branco, Santo Afonso, São José dos Quatro Marcos, Salto do Céu e Tangará da Serra.


 
A relação entre os moradores e os rios do Pantanal é tema da exposição.
© Mustafah Abdulaziz/WWF-Brasil Enlarge
Mustafah Abdulaziz se especializou em retratar a realção do homem com a água
© WWF-Brasil Enlarge
A exposição fica aberta até o dia 10 de abril
© WWF-Brasil Enlarge
O desmatamento e as más práticas agrícolas afetam o solo e a água do Pantanal.
© Mustafah Abdulaziz/WWF-Brasil Enlarge
Para Abdulaziz, a crise hídrica de São Paulo deve servir de alerta para todas as regiões do país
© Mustafah Abdulaziz/WWF-Brasil Enlarge
Ana Luiza Peterlini, secretária de meio ambiente de Mato Grosso, lidere a participação do estado no Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal
© Mustafah Abdulaziz/WWF-Brasil Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA