Seringueiros do Acre participam de intercâmbio sobre empreendedorismo na floresta | WWF Brasil

Seringueiros do Acre participam de intercâmbio sobre empreendedorismo na floresta



27 Maio 2015    
Tecnologia FDL tem ajudado na melhoria das condições de mercado da borracha amazônica
Tecnologia FDL tem ajudado na melhoria das condições de mercado da borracha amazônica
© Simon Rawles / WWF UK
Entre os dias 25 e 31 de maio um grupo de 35 seringueiros participarão de um intercâmbio organizado pelo WWF-Brasil, com o apoio do WWF-Bolívia e WWF-Peru, que tem como objetivo apresentar experiências bem sucedidas de uso sustentável dos produtos da floresta. 
 
Os participantes são seringueiros originários dos municípios acreanos de Feijó, Tarauacá e Manoel Urbano; assim como das cidades de Cobija, na Bolívia; e de Iberia, no Peru.
 
O foco do intercâmbio será na produção sustentável de borracha, mas também serão contemplados nas atividades a produção agrícola de pequena escala na Amazônia (as chamadas “agroflorestas”) e o turismo de base comunitária.
 
Troca de experiências
 
“Nossa idéia é proporcionar aos seringueiros a troca de experiências a respeito da produção e comercialização de borracha nativa na Amazônia – assim como as diferentes técnicas, avanços e desafios do setor”, explicou o coordenador adjunto do programa Amazônia do WWF-Brasil, Ricardo Mello.
 
Além disso, o intercâmbio também terá momentos de visita, exposição e discussão sobre a produção agroextrativista na Amazônia e turismo de base comunitária.
 
Estimular também a veia empreendedora dos participantes é outro dos objetivos da empreitada. “Queremos mostrar aos extrativistas que é possível gerar renda de forma responsável de diversas maneiras. Eles podem, por exemplo, manejar suas florestas, aperfeiçoar suas plantações, melhorar a extração e produção da borracha e aproveitar o potencial turístico do local onde vivem”, afirmou Ricardo Mello.
 
Trajeto
 
De acordo com a programação, o grupo sairá de Rio Branco, no Acre, e irá à cidade peruana de Iberia, onde será feita uma visita à cooperativa de seringueiros ECOMUSA.
 
Nesta cidade, serão realizadas visitas a áreas de seringueiras, em que será possível observar os processos de extração e beneficiamento de borracha natural; e áreas de agricultura orgânica familiar e de agroflorestas.
 
O grupo segue então para o Corredor Turístico Tambopata, na cidade de Puerto Maldonado, onde conhecerá experiências de turismo rural de base comunitária.
 
Os intercambistas voltam, então, para o Brasil, passando pela Reserva Extrativista (Resex) Chico Mendes, no município acreano de Epitaciolândia. Ali, eles presenciam a fabricação de folhas de borracha FDL e FSA – momento que contará com o apoio de técnicos do Laboratório de Tecnologia (Lateq) da Universidade de Brasília (UnB).
 
A última parte da viagem ocorre no município de Porto Acre, onde os intercambistas visitam uma propriedade rural cujo dono utiliza práticas agroflorestais e orgânicas para garantir sua renda e conservar os recursos naturais daquela região.
 
Um bilhão de árvores
 
O intercâmbio que o WWF-Brasil realiza esta semana é fruto da iniciativa Protegendo Florestas - uma parceria do WWF-Brasil, do Governo do Acre, da rede de televisão britânica Sky e do WWF Reino Unido.
 
Iniciada em 2009, esta ação conjunta promove ações que ajudam famílias de produtores e extrativistas a gerar renda de forma sustentável com a venda de produtos como açaí, borracha e copaíba. Assim, é possível combater o desmatamento dentro das propriedades rurais.
 
O objetivo do projeto é garantir a conservação de 164 mil quilômetros quadrados de floresta no Estado do Acre – além de manter um bilhão de árvores em pé naquele território.
 
Em 2013 o projeto ganhou o prêmio de “Melhor Parceria de Organização Social” no Business Charity Awards, em Londres.
Tecnologia FDL tem ajudado na melhoria das condições de mercado da borracha amazônica
Tecnologia FDL tem ajudado na melhoria das condições de mercado da borracha amazônica
© Simon Rawles / WWF UK Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA