Sistema identifica áreas mais apropriadas para conservação



18 julho 2005

Brasília (18/05/2005) - O WWF-Brasil participa do Encontro Anual da Sociedade de Biologia da Conservação, que acontece até o dia 19 em Brasília, com a organização do simpósio “Planejamento para a conservação da biodiversidade nos campos de várzea da Amazônia”. No evento, foi apresentado um sistema que identifica de modo inteligente as áreas mais apropriadas para a criação de unidades de conservação. O objetivo é oferecer a máxima proteção à biodiversidade na menor área possível, ao menor custo.

Criado na Austrália pelo pesquisador Bob Pressey – que participa no simpósio promovido pelo WWF-Brasil e pelo Pro-Várzea/IBAMA – o sistema, batizado de “C-Plan”, baseia-se em determinados critérios que ajudam a otimizar o processo decisório para criação de novas áreas de conservação, utilizando e cruzando conceitos como o de complementaridade e representatividade.

A complementaridade significa, na prática, integrar os esforços conservação evitando a criação de áreas redundantes. Por exemplo, no lugar de criar reservas separadas para proteger uma espécie pássaros e outra para carnívoros, procurar uma área onde ambos, pássaros e carnívoros, possam ser conservadas. O segundo conceito avalia a representatividade de determinada região em relação a sua biodiversidade.

O Laboratório de Ecologia da Paisagem do WWF-Brasil é um dos primeiros no país a utilizar o sistema. O primeiro estado brasileiro a adotá-lo para identificar áreas prioritárias foi Goiás. O governo goiano planeja criar uma bolsa de certificados florestais na qual seriam negociadas florestas, além das já protegidas pelo Código Florestal.

DOE AGORA
DOE AGORA