Uma visão sobre a rastreabilidade da cadeia da carne bovina no brasil | WWF Brasil

Uma visão sobre a rastreabilidade da cadeia da carne bovina no brasil



04 fevereiro 2021    
Neste sumário executivo trazemos os principais pontos abordados no estudo, avaliando os modelos de rastreabilidade existentes e recomendações que visam a construção desse novo modelo em que a rastreabilidade ambiental seja parte integrante da cadeia produtiva como um todo, fugindo de círculos viciosos que costumam acompanhar e desmotivar esse tipo de iniciativa.
© WWF-Brasil
A pecuária possui um papel relevante na economia brasileira. Em 2019, junto com a agricultura, o setor foi responsável por um PIB de R$ 1,5 trilhão, o que representa 21% do PIB brasileiro nacional. Atualmente, o Brasil é o maior exportador mundial de carne bovina, atendendo a mais de 180 países.

Contudo, o setor ainda é o maior driver imediato de conversão de vegetação nativa. 80% de todo desmatamento no Brasil é imediatamente ocupado por pastagens. Atualmente ainda não é possível distinguir um produto livre de desmatamento daquele oriundo de áreas recém desmatadas.

Dessa forma, um dos aspectos que requer atenção imediata é a rastreabilidade dessa cadeia, discutida no estudo “A rastreabilidade da cadeia da carne bovina no Brasil”, produzido pela Coalizão Brasil – Clima, Florestas e Agricultura e que contou com a participação do WWF-Brasil. A rastreabilidade completa da cadeia é a ferramenta que permitirá identificar os responsáveis por desmatamento e outros crimes ambientais e sociais de produtores que produzem sem converter áreas nativas em pastagens. Um dos grandes desafios do setor da pecuária é avançar com um sistema de rastreabilidade da origem do gado, dentro de uma estrutura produtiva que envolve o trânsito intenso de animais entre fazendas, desde o nascimento até o abate.

A implantação de um modelo que cubra toda a cadeia desde o nascimento do bezerro, dentro de uma legislação específica, com tecnologia e compromisso do setor, é, sem dúvida, uma poderosa ferramenta para a diminuição de conversão de vegetação nativa, invasão de Unidades de Conservação (UCs) e Terras Indígenas (TIs), além de outros requisitos socioambientais de produção.

Acreditamos que só vamos conseguir eliminar o desmatamento e conversão e outros impactos ambientais negativos se as cadeias de carne bovina tiverem uma rastreabilidade completa e mais transparente.

Neste sumário executivo trazemos os principais pontos abordados no estudo, avaliando os modelos de rastreabilidade existentes e recomendações que visam a construção desse novo modelo em que a rastreabilidade ambiental seja parte integrante da cadeia produtiva como um todo, fugindo de círculos viciosos que costumam acompanhar e desmotivar esse tipo de iniciativa.

É notório o papel estratégico da cadeia de produção de carne para a conservação ambiental e para a garantia dos direitos humanos e de comunidades tradicionais e povos indígenas, uma vez que a pecuária brasileira é majoritariamente a pasto e intrinsecamente relacionada e dependente dos recursos naturais e do equilíbrio climático, além de fazer parte da cultura de diversas regiões.

Por isso, o WWF-Brasil não se furta do papel de trabalhar com este setor, cobrando por melhorias, influenciando políticas públicas e privadas e muitas vezes estabelecendo parcerias com atores dessa cadeia para juntos desenvolverem soluções que endereçam a nossa missão de promover um meio ambiente saudável e em harmonia com as pessoas.
Neste sumário executivo trazemos os principais pontos abordados no estudo, avaliando os modelos de rastreabilidade existentes e recomendações que visam a construção desse novo modelo em que a rastreabilidade ambiental seja parte integrante da cadeia produtiva como um todo, fugindo de círculos viciosos que costumam acompanhar e desmotivar esse tipo de iniciativa.
© WWF-Brasil Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA