Oficina em restauração da vegetação nativa com muvuca de sementes fomenta a recuperação ambiental na bacia do Taquari

20 fevereiro 2024

O curso foi uma iniciativa do WWF-Brasil, em parceria da Tapestry Foundation
Por Tatiana de Araújo

Técnicos de órgãos ambientais, de ONGs e consultorias da região da Bacia do Taquari, em Alcinópolis, no Mato Grosso do Sul, tiveram a oportunidade de participar de um curso de restauração da vegetação nativa, com implementação pioneira, utilizando a técnica de semeadura direta, também conhecida como muvuca de sementes, entre os dias 17 e 19 de janeiro. 

O curso foi uma iniciativa do WWF-Brasil, em parceria da Tapestry Foundation, elaborado em colaboração com a Prefeitura de Alcinópolis, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Meio Ambiente (SEMDEMA) e o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (IMASUL), sendo ministrado pela Verde Novo, consultoria contratada pelo WWF-Brasil. 

A muvuca é uma técnica que consiste na dispersão de sementes de diversas espécies nativas em uma mesma área, simulando o processo natural de regeneração da vegetação. Este método tem se mostrado uma alternativa promissora na recuperação de áreas degradadas e na promoção da biodiversidade no cerrado. 

Durante o curso, os participantes aprenderam sobre a teoria e a prática da técnica de muvuca, e também sobre o uso de adubo verde para inibir o crescimento de gramínea invasora, além do adequado preparo do solo e adaptação do maquinário para agilizar o processo de plantio. No Parque Estadual Nascentes do Taquari, os participantes puderam colocar em prática os conhecimentos adquiridos durante as aulas teóricas. 100 kg de sementes de 64 espécies nativas e 26kg de adubo verde foram utilizadas na restauração de um hectare através de semeadura manual (a lanço) e mecanizada, compreendendo as diferentes possibilidades para restauração da área degradada. Esta implementação contribui para o projeto "Sementes do Taquari", uma iniciativa que visa a recuperação de áreas degradadas no Parque. 

As sementes utilizadas foram coletadas por comunidades quilombolas e assentamentos rurais que fazem parte da Rede de Sementes no Mato Grosso do Sul. Essa abordagem inclusiva fortalece a participação das comunidades locais no processo de restauração, e promove a valorização do cerrado como fonte de renda para as famílias envolvidas. 

Ao final da vivência, o sentimento geral percebido entre os participantes do curso era de entusiasmo e otimismo em relação ao potencial transformador da muvuca de sementes na recuperação de ecossistemas locais. O comprometimento das comunidades, aliado ao apoio de organizações e governos locais, abre caminho para uma abordagem mais sustentável e colaborativa para atingir as metas nacionais de restauração, manter os benefícios ambientais e garantir o bem-estar das populações. 
A muvuca é uma técnica que consiste na dispersão de sementes de diversas espécies nativas em uma mesma área
© WWF-Brasil/Flávia Araújo
DOE AGORA
DOE AGORA