Você já ouviu falar na Comunidade que Sustenta a Agricultura? | WWF Brasil

Você já ouviu falar na Comunidade que Sustenta a Agricultura?



09 Maio 2018    
Foto do Encontro de Gestão da CSA Brasília na Associação dos Produtores Agroecológicos do Alto São Bartolomeu (Aprospera), no dia 06 de maio
© Bruna de Oliveira / CSA Bindu
Por Taís Meireles

Da cultura do preço para a cultura do apreço. Essa é a mudança que agricultores orgânicos e co-agricultores adeptos do movimento CSA buscam no consumo sustentável de frutas, verduras e legumes. Sigla para Comunidade que Sustenta Agricultura, nada mais é que uma parceria entre agricultores e consumidores, na qual responsabilidades, riscos e benefícios da agricultura passam a ser compartilhados e os consumidores se tornam co-agricultores.

"Quando ficamos doentes, precisamos de remédio, médico e hospital. Mas e se a nossa relação tão próxima com farmacêuticos e médicos passasse a ser próxima com quem produz os alimentos que consumimos? Se cuidassemos da saúde ao invés da doença? Alimentar-se de forma saudável, sem agrotoxicos, nenhum tipo de conservante e ainda contribuir no sustento de quem tanto é colocado à margem: os agricultores familiares. Esse é o grande objetivo da CSA. Fazer a transformação social e ambiental da boca para dentro", explica Vinícius Pereira, técnico do WWF-Brasil que apoia o projeto no Distrito Federal desde a implantação  das primeiras comunidades no Pipiripau em 2016.

O funcionamento da CSA é simples: por meio de uma cota fixa mensal, os co-agricultores recebem uma caixa semanal ou quinzenal de produtos agrícolas, como frutas, verduras, legumes, ovos, leite e o que mais estiver combinado com seu agricultor. Tudo de acordo com a estação e com a safra do período, respeitando os tempos da natureza e também do produtor. Agricultores recebem uma renda mais estável e segura, além de uma conexão mais próxima com sua comunidade, enquanto os co-agricultores (antigos consumidores) se beneficiam com alimentos locais frescos, saudáveis e sustentáveis, sentindo-se mais conectados à natureza.

Ao todo, existem hoje cerca de 100 CSA no Brasil, sendo 24 delas localizadas no DF, onde atua o Programa Água Brasil, parceria entre Banco do Brasil, WWF-Brasil, Agência Nacional de Águas e Fundação Banco do Brasil. Por meio de trabalhos de incentivo à produção sustentável nas bacias do Pipiripau e Descoberto, localizadas no DF, o programa apoia a criação e manutenção das CSA.

Durante a primeira fase do programa, entre 2010 e 2015, 10 unidades demontrativas de boas práticas agrícolas foram implantadas na bacia do Pipiripau (DF). Dessas, 6 propriedades se uniram para a criação da Associação dos Produtores Agroecológicos do Alto São Bartolomeu, que, por sua vez, criou as CSAs da região, com o apoio do Sebrae, da Matres Ambiental e do ISPN.

"A transição de um modelo convencional para a CSA é como quebrar paradigmas da sociedade, transformar e criar uma nova realidade através do alimento, fortalecendo as relações de confiança. Esse modelo de consumo é muito promissor como tecnologia social de transformação, aliando, unindo produtores e co-produtores na mesma causa, em busca de uma alimentação saudável, respeitando o meio ambiente, dando mais dignidade e auto-estima ao agricultor, trabalhando as relações com a terra e com as pessoas, criando uma nova maneira de se relacionar com o mundo... CSA é uma economia solidária e associativa que transforma a nossa relação de consumo", reforça Diogo Kaiser, beneficiário do Programa e agricultor da CSA Pé na Terra, localizada na bacia do Pipiripau.

A CSA Pé na Terra tem, inclusive, um ponto de convivência para entrega das cestas na sede do WWF-Brasil, em Brasília. Alessandra Mathyas, analista de conservação do Programa de Clima e Energia, é uma das co-agricultoras que se beneficia da parceria. "Para mim é um privilégio poder receber alimentos fresquinhos e saudáveis pra minha família e ainda ajudar a conservação do meio ambiente. Afinal, quanto mais a gente incentivar a produção agroecológica, mais protegemos a natureza e o futuro dos nossos filhos", defende ela.

Conheça no infográfico abaixo como funciona a CSA, uma forma de consumir alimentos mais saudáveis e ainda ajudar a produção local:


Saiba mais em csabrasil.org
Foto do Encontro de Gestão da CSA Brasília na Associação dos Produtores Agroecológicos do Alto São Bartolomeu (Aprospera), no dia 06 de maio
© Bruna de Oliveira / CSA Bindu Enlarge
Além do consumo saudável e sustentável de alimentos, a CSA promove apoio aos agricultores locais, diminuindo a cadeia de produção
© Bruna de Oliveira / CSA Bindu Enlarge
Encontros como o do último dia 06 servem para fortalecer ainda mais a relação da comunidade com seus agricultores, que podem fazer tomadas de decisões conjuntas
© Bruna de Oliveira / CSA Bindu Enlarge
As frutas, verduras e legumes que chegam na cesta das CSA são todos naturais e orgânicos, podendo gerar uma série de alimentos como geleias, compotas, saladas, cozidos e muito mais!
© Bruna de Oliveira / CSA Bindu Enlarge
O milho vermelho, por exemplo, é uma das iguarias que vem chegando nas cestas dos co-agricultores do DF
© Diogo Paim / CSA Pé na Terra Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA