Mosaico Sertão Veredas Peruaçu pode se tornar o maior no bioma Cerrado | WWF Brasil

Mosaico Sertão Veredas Peruaçu pode se tornar o maior no bioma Cerrado



16 março 2018    
Com a entrada das UCs, o Mosaico passará de 1.8 milhão de hectares para mais de 3 milhões de hectares, se tornando o maior do Cerrado
© Bento Viana/WWF-Brasil
Por Letícia Campos

Com apoio do Fundo CEPF (Critical Ecosystem Partnership Fund), o WWF-Brasil e a organização parceira Funatura promoveram a discussão sobre a inclusão de dez novas Unidades de Conservação no Mosaico Sertão Veredas Peruaçu, que atualmente já conta com 15 UCs. A proposta foi apresentada e discutida na última reunião da Câmara Técnica de Gestão Integrada das UCs do MSVP, em que o WWF-Brasil faz parte da coordenação, e será deliberada na próxima reunião do Conselho Consultivo do Mosaico, a ser realizada em abril.

Segundo o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), um mosaico é constituído quando existem UCs próximas, justapostas ou sobrepostas, pertencentes a diferentes esferas de governo ou de gestão particular. A legislação prevê ainda uma gestão integrada e participativa, envolvendo os gestores das áreas protegidas e a população local de forma a compatibilizar a presença da biodiversidade, a valorização da sociodiversidade e o desenvolvimento sustentável. Ao todo, o Brasil tem 23 mosaicos, sendo 15 Mosaicos Federais e oito Mosaicos Estaduais.

O Mosaico Sertão Veredas Peruaçu foi reconhecido em 2009, sendo um dos primeiros a serem estabelecidos no bioma Cerrado, representando uma área chave para garantir a conservação do Cerrado. São mais de 1.8 mil hectares de área, abarcando diferentes categorias de unidades de conservação, de proteção integral e uso sustentável. Inclui também quatro comunidades quilombolas e duas terras indígenas Xacriabás, em 11 municípios no norte/noroeste de Minas Gerais e um município do sudoeste da Bahia, uma região que reúne paisagens impressionantes e únicas.

“A ampliação do MSVP nessa região, que abriga um dos maiores remanescentes de Cerrado, é uma decisão que irá incrementar o corredor ecológico em benefício da fauna e flora existentes, e que vai suprir gargalos que, por muitas vezes, limitam o desempenho das ações de conservação, como, por exemplo, a falta de recursos humanos e infraestrutura. Como parte do Mosaico, poderemos otimizar esses pontos e promover intercâmbios de experiências, trazendo maior ganho de qualidade para a gestão das áreas protegidas”, declarou Sandro Borges, gestor do Refúgio Federal de Vida Silvestre do Oeste Baiano, uma das unidades que está em vias de inclusão no Mosaico.

Além da rica biodiversidade o território é uma rica fonte de água. É lá que se encontra o aquífero Urucuia, um dos maiores reservatórios de água subterrânea do país, e o Rio Carinhanha, importante afluente do São Francisco contribuindo com 20% de sua vazão. Apesar disso, um estudo do WWF-Brasil registra que 37% da região do Mosaico já foi alterada para implantação de monocultivos o que gera impactos às áreas protegidas, aos recursos hídricos e às populações locais. Um cenário, infelizmente comum para o Cerrado, já que é o bioma que mais se desmata atualmente no Brasil.

Kolbe Soares, analista de conservação do Programa Cerrado Pantanal do WWF-Brasil, considera que a ampliação do Mosaico irá fortalecer as ações de integração das áreas protegidas e comunidades associadas, além de planejar e executar estratégias conjuntas contra o ímpeto do desmatamento que assola a região”.
“Com a entrada dessas UCs, o Mosaico Sertão Veredas Peruaçu tornará o maior em área e número de unidades de conservação do Cerrado. Ele passará de 1.8 milhão de hectares para mais de 3 milhões de hectares, representando um grande passo na integração das ações de sustentabilidade e conservação dos recursos naturais”, reforça Kolbe.
 
Veja a lista das UCs que preiteiam a entrada no Mosaico:
  1. Refúgio Federal de Vida Silvestre do Oeste Baiano
  2. APA Federal das Nascentes do Rio Vermelho
  3. Parque Natural Municipal do Pequi
  4. APA Municipal de Uruana de Minas
  5. Reserva Biológica Estadual Serra Azul
  6. Reserva Biológica Estadual do Jaíba
  7. APA Estadual Lajedão
  8. APA Estadual Serra do Sabonetal
  9. Parque Estadual Verde Grande
  10. Parque Estadual Lagoa do Cajueiro
 
* O WWF-Brasil atua na região há mais de oito anos com o Projeto Sertões e desde 2017 com o CEPF (Critical Ecosystem Partnership Fund)
Com a entrada das UCs, o Mosaico passará de 1.8 milhão de hectares para mais de 3 milhões de hectares, se tornando o maior do Cerrado
© Bento Viana/WWF-Brasil Enlarge
Mapa do Mosaico de unidades de conservação Grande Sertão Veredas
© Divulgação/WWF-Brasil Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA