Hora do Planeta 2015 bate recorde de participação no Brasil com 185 cidades



14 abril 2015    
Hora do Planeta em Manaus (AM)
© Divulgação/WWF-Brasil
A sétima edição da Hora do Planeta no Brasil, realizada em 28 de março, das 20h30 às 21h30, com promoção da organização ambientalista WWF-Brasil, bateu o recorde de participação de cidades brasileiras com a adesão de 185 municípios, incluindo todas as capitais e o Distrito Federal. O número representa 41 cidades a mais do que no ano anterior que detinha o maior envolvimento verde-amarelo desde a primeira edição da campanha no Brasil, em 2009. 

O Monumento às Bandeiras, em São Paulo; os Arcos da Lapa, no Rio de Janeiro; a Esplanada dos Ministérios e o Congresso Nacional, em Brasília; e a Igreja São Francisco de Assis (Igrejinha da Pampulha), em Belo Horizonte, foram apenas alguns dos 626 ícones – entre monumentos, prédios e equipamentos públicos locais – apagados de Norte a Sul do Brasil por sessenta minutos na noite do sábado, 28 de março.

Além dos ícones apagados pelas prefeituras, estabelecimentos comerciais, centros culturais e prédios privados também se engajaram na Hora do Planeta. Em São Paulo, por exemplo, o prédio sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), um dos mais emblemáticos da Avenida Paulista, além de apagar as luzes, projetou na sua fachada um vídeo de contagem regressiva para a Hora do Planeta. Pelo Brasil, as lojas do Grupo Malwee e da rede McDonald’s e as redes hoteleiras Accor, Fasano, Meliã e Tivoli também aderiram ao movimento. Os times de futebol Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e Sport Club do Recife gravaram mensagens de mobilização com parte dos seus jogadores, da mesma forma que a Turma da Mônica e diversos grupos de escoteiros pelo país.

“Foi a maior Hora do Planeta que realizamos até hoje, tanto no número de cidades e pessoas participantes, quanto no evento que promovemos no Rio de Janeiro”, afirma a superintendente de Comunicação, Marketing e Engajamento do WWF-Brasil, Renata A. Soares, lembrando que a ação no Brasil fez parte do movimento global que envolveu mais de 7 mil cidades, em 162 países, que apagaram ícones como a Ópera de Sydney, a Torre Eiffel, em Paris, o Big Ben, em Londres, as Pirâmides de Giza, no Egito, e a Table Mountain, na Cidade do Cabo. 

Confira aqui a lista completa com todas as cidades participantes no Brasil.

Festival Hora do Planeta
O evento oficial da Hora do Planeta, promovido pelo WWF-Brasil na praia de Ipanema, Rio de Janeiro, reuniu aproximadamente 4 mil pessoas em um show gratuito com atrações como o coletivo internacional de artistas Playing For Change e o músico Hamilton de Holanda. Também se apresentam Rodrigo Sha (foto), Eduardo Neves e o DJ Nado Leal. Todo o espetáculo foi realizado com gerador de biocombustível, e teve o patrocínio da Ambev, Banco do Brasil e Grupo Malwee. Além da TAM, transportadora oficial da ação no Brasil, e da Globo.

O WWF-Brasil também se envolveu diretamente em eventos em Campo Grande (MS) e Manaus (AM), cidades onde possui escritório. Na capital do Mato Grosso do Sul, que apagou seis monumentos – entre eles, o Monumento ao Índio e a escultura Guerreiro Guaicuru –, cerca de 200 pessoas participaram do evento da Hora do Planeta com shows dos artistas locais Jú Souc e Grupo Sampri. Além disso, também foram organizadas uma caminhada de 5 km e um passeio ciclístico de 10 km. 

Em Manaus (AM), a mobilização pela Hora do Planeta reuniu cerca de 200 pessoas no Parque Municipal Lagoa do Japiim (foto) e contou com show da cantora Lucinha Cabral e participação dos secretários municipais de Educação e Meio Ambiente, Kátia Schweickardt e Itamar Mar. Na ocasião, foi realizada ainda uma “feira” com associações de artesãos que criam produtos com materiais reutilizados, como tecidos, plástico e papel; e uma exposição fotográfica organizada pela associação esportiva Torcida do Amazonas. Durante o evento também foram distribuídas mais de 300 mudas de árvores frutíferas e ornamentais. O evento foi realizado pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), da Fundação Municipal de Cultura (Manauscult), do Fundo Municipal de Meio Ambiente (FMMA), WWF-Brasil e pela Torcida do Amazonas.

Crise Hídrica
Com foco na crise hídrica que tem afetado ao menos 40 milhões de brasileiros, a Hora do Planeta lançou uma petição pela criação do Plano Nacional para a Proteção de Nascentes. A petição enfatiza a importância da “infraestrutura natural” para melhorar a qualidade e aumentar a quantidade da água consumida no Brasil.  Com a petição, o WWF-Brasil quer chamar a atenção para o fato de que a própria bacia hidrográfica, a própria natureza, já tem mecanismos para reservar água, sendo o solo, o maior reservatório que existe.  

“O Brasil precisa urgentemente de um plano nacional para a proteção e a recuperação de nascentes, rios, lagos, córregos e outros mananciais, que ajudaria a aumentar a quantidade e a qualidade da água para consumo. Parece que o governo não leva em consideração que é preciso um plano mais robusto de segurança hídrica, mais diversificado e mais baseado na infraestrutura natural da bacia hidrográfica”, explica o coordenador do programa Água para Vida, do WWF-Brasil, Glauco Kimura de Freitas. 

Acesse a página da petição aqui no site e assine! 

Em 2016, a Hora do Planeta acontecerá no sábado, 19 de março.
Hora do Planeta em Manaus (AM)
© Divulgação/WWF-Brasil Enlarge
Rodrigo Sha no palco do evento oficial da Hora do Planeta no Rio de Janeiro (RJ)
© Marcos Hermes/WWF-Brasil Enlarge
Arcos da Lapa (RJ), um dos 626 ícones brasileiros apagados na Hora do Planeta 2015
© Divulgação/WWF-Brasil Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA