Combate a queimadas no MS ganha reforço com doação de equipamentos pelo WWF

De acordo com o INPE, entre 1º de janeiro e 5 de novembro de 2019, foram queimados 1.560 km2 de vegetação no Pantanal, uma área maior que o estado do Rio de Janeiro

© Sean Keuroghlian-Eaton / WWF-Brasil
 
06 de novembro de 2019

 

Mato Grosso do Sul conta com novos equipamentos de combate a queimadas e incêndios florestais. Na manhã 5 de novembro de 2019, o WWF-Brasil participou da solenidade de assinatura do termo de doação de três kits compostos por lança-jato com capacidade de armazenamento de 600 litros d’água. O material foi instalado em caminhonetes Mitsubishi L200 Triton do Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul).

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), 9.340 focos de queimadas foram registrados no Pantanal entre 1º de janeiro e 5 de novembro deste ano - um aumento de 517% na comparação com o mesmo período de 2018. A área queimada, 1.560 km2, é maior que o estado do Rio de Janeiro. Os números mostram que as Unidades de Conservação (UCs) e o seu entorno têm um papel importante no controle e na regulação do fogo, pois representam apenas 1,09% do total dos focos que atingiram o bioma.

“Analisando os dados do INPE quanto aos focos de calor, diagnosticamos a presença de maior equilíbrio climático nos territórios que possuem Unidades de Conservação”, diz Thaishi Leonardo, analista do WWF-Brasil. “Além da regulação do microclima, purificação do ar e provisão de água, as UCs destacam-se como um essencial refúgio à fauna, extremamente ameaçada nesses períodos de seca e queimadas. Ou seja, quando mais preservada a biodiversidade estiver, maior é o equilíbrio ecológico ambiental”.

O AVANÇO DO FOGO

Mato Grosso do Sul vive uma situação crítica desde outubro, com o fogo avançando para a região do Forte Coimbra, entre Corumbá e Porto Murtinho. Há focos de incêndio também em direção à borda do Parque Estadual do Rio Negro, no centro do bioma, ameaçando o Parque Estadual das Várzeas do Ivinhema, no extremo Sul, na bacia do rio Paraná.

Jaime Verruck, titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (SEMAGRO), afirma que os trabalhos realizados até o momento contaram com parcerias fundamentais. “Recebemos esses equipamentos que são diferenciados e vêm para ajudar nas ações que já estão em andamento. Fogo se combate com rede de cooperação e parcerias, por isso atuamos constantemente na estruturação das equipes de Bombeiros e do PrevFogo”, ressalta.

“Neste primeiro momento, vamos atender as demandas do Parque Estadual do Rio Negro. A nossa missão é garantir a conservação das UCs estaduais, importantes espaços representativos dos nossos ecossistemas”, afirma André Borges, diretor presidente do Imasul. “A doação auxiliará as equipes de campo, em missões integradas com outros órgãos ou em missões independentes”, declara o coronel Joílson Alves do Amaral, comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, acrescentando que a parceria com o WWF-Brasil visa proteger o Pantanal. 

Os lança-jatos foram direcionados ao Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS), por meio da SEMAGRO e do Imasul, instituições que fazem parte do comitê interinstitucional de Prevenção e Combate de Incêndios Florestais.

Julia Boock, analista do WWF-Brasil, afirma que os equipamentos ajudarão no combate a queimadas, além de prevenir incêndios florestais, "preferencialmente em Unidades de Conservação e suas zonas de amortecimento, e no atendimento integrado às emergências ambientais com produtos perigosos no Estado”.

TRÊS KITS DE LANÇA-JATOS FORAM DOADOS PELO WWF-BRASIL

© Daniela Venturato / WWF-Brasil
© Daniela Venturato / WWF-Brasil