Últimos dias para se inscrever no Desafio das Cidades 2019/2020 | WWF Brasil

Últimos dias para se inscrever no Desafio das Cidades 2019/2020

03 Julho 2019
Por Bruna M. Cenço

Atualmente, a grande maioria dos habitantes do mundo vive nas cidades. São elas as responsáveis por 70% das emissões de carbono e mais de 80% do PIB global. Nas cidades, os problemas tendem a se multiplicar e, também por isto, são importantes testadores e multiplicadores de soluções.

De acordo com o ex-secretário-geral adjunto da ONU, Jan Eliasson, elas são um ponto crucial no combate à emergência climática que vivemos:

“As cidades são onde a batalha pelo desenvolvimento sustentável será vencida - ou perdida, se falharmos”, diz Eliasson.

Buscando identificar e aprimorar as soluções urbanas às mudanças do clima, o WWF, em parceira com o Iclei, CDP e outros parceiros globais, promove mais uma edição do Desafio das Cidades pelo Planeta (OPCC, em inglês).

Basicamente, o OPCC é uma competição amistosa para mobilizar cidades para cumprir o Acordo de Paris. Por meio dele, busca-se ajudar os governos locais a reduzir suas emissões de carbono.

Ele é a maior e mais antiga competição do gênero. Mais de 400 cidades nos 5 continentes participaram pelo menos uma vez do Desafio, que já está na sua quinta edição.

Nesta edição 2019-2020, o objetivo é apoiar e celebrar 100 cidades com planos de ação para 1,5 °C. Até o momento, várias cidades já preencheram o relatório com as inscrições, que está nos seus últimos dias. Além de competir, todas as cidades participantes recebem orientação de especialistas mundiais sobre reduções de impacto de grande ganho, de acordo com 1,5 ° C.

Como funciona O Desafio das Cidades pelo Planeta?
As cidades participantes relatam emissões, metas e metas em plataformas de relatórios padronizadas, pela plataforma do CDP.

Os dados dos participantes são avaliados e comparados com as trajetórias de redução de emissões recomendadas para seu tipo, a fim de limitar o aquecimento global a 1,5° C.

Com base nos dados inseridos, um júri internacional de especialistas em sustentabilidade urbana seleciona até 3 cidades finalistas por país. As campeãs nacionais então disputam o título mundial, também pelo júri técnico.

De acordo com o analista de conservação do WWF-Brasil Eduardo Canina, além de premiar as melhores cidades, o Desafio das Cidades traz como benefício o apoio e a mentoria às cidades participantes, auxiliando para que elas dêem um passo a mais rumo à sustentabilidade.

“Mais de 85% das pessoas vivem em áreas urbanas no Brasil e tende a aumentar até 2050. Sabemos que as cidades enfrentam diversos desafios e a mudança do clima pode potencializá-los. O Desafio das Cidades busca promover as iniciativas já existentes e incentivar que mais cidades decidam reduzir suas emissões de gases de efeito estufa alinhadas com a meta de 1,5 ºC. Com os compromissos atuais colocados na mesa pelos países não conseguimos cumprir o Acordo de Paris. É importante as cidades usarem sua capacidade de liderança para contribuir no aumento das ambições”, comenta Canina.

Além da votação técnica, as cidades selecionadas também participam do concurso global de votação popular, no concurso Nós Amamos As Cidades (We Love Cities).

Presente no Brasil para a Feira Conexão Carbono Zero, Gonzalo Durán, prefeito de Independencia, cidade pertencente a Santiago, no Chile, comentou sobre a importância das cidades no combate às mudanças climáticas e dos prefeitos exercerem o que ele chamou de “liderança política no combate às mudanças do clima”. Independencia foi um dos destaques do evento como exemplo de cidade sustentável e foi a ganhadora da votação popular do We Love Cities na última edição no Chile.

“O tema das mudanças climáticas é um assunto político. Por isso, nós, prefeitos, temos que desempenhar um papel muito, além das normativas. Como grande parte dos mandatos é a cada 4 ou 5 anos, alguns prefeitos pensam que as mudanças climáticas são um trabalho a mais e que devem se preocupar somente com o que vai acontecer no seu período. Mas não se trata de mais trabalho. As mudanças do clima fazem parte do nosso mandato, têm impacto no nosso dia-a-dia. O que se deve fazer é incorporar este assunto. O que quer que você já vá fazer, faça incorporando as questões de clima”, comentou o prefeito, citando desde ações de infraestrutura, como melhoria da mobilidade e iluminação urbana, até incentivo a geração de energia solar.

Para saber mais sobre o Desafio das Cidades pelo Planeta acesse o site e preencha o formulário com os dados do responsável pelo município..

Comentários

blog comments powered by Disqus
DOE AGORA
DOE AGORA