WWF-Brasil e AES Eletropaulo lançam campanha de arrecadação



08 junho 2006

O WWF-Brasil e a AES Eletropaulo lançam hoje, 8 de junho, uma campanha de arrecadação de fundos para apoiar a criação e a manutenção de parques e reservas que fazem parte do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa). Nas contas de clientes da AES Eletropaulo – que representam 9% da população do país – estarão estampadas mensagens sobre a importância da maior floresta tropical úmida do planeta e instruções para as doações, que devem ser depositadas numa conta bancária do WWF-Brasil. Entre as informações destacadas está, por exemplo, o fato de que até 70% das chuvas que caem em São Paulo dependem da floresta na Amazônia, para não mencionar outras grandes cidades do país.


A campanha, criada pela agência DIM, que atende a AES Eletropaulo, tem como peça principal mensagens no verso das quase 5 milhões de contas de luz emitidas pela AES Eletropaulo. Spots de rádio, banners e peças impressas também fazem parte da iniciativa, que enfatiza a importância do envolvimento e da contribuição de cada indivíduo para a conservação da floresta.

“Além de apoiar a proteção desse patrimônio brasileiro, esta campanha marca uma iniciativa de parceria entre uma organização não-governamental nacional e uma empresa privada, possibilitando comunicação com os cidadãos, para apoiar um programa que é mais que governamental: ele é de interesse de todos”, diz Denise Hamú, secretária-geral do WWF-Brasil.

O dinheiro arrecadado com apoio da AES Eletropaulo será inteiramente revertido pelo WWF-Brasil ao fundo de capitalização permanente do Programa de Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa). As doações poderão ser feitas diretamente pelo Banco do Brasil, conta corrente 78197-5, agência 3382-0, em nome do WWF-Brasil.

A derrubada e o mau uso da mata provocam mudanças no sistema hídrico de todo o país, o que pode diminuir a alimentação das usinas hidrelétricas e trazer novos períodos de “apagão”, além de profundas alterações no clima do planeta, entre outras graves conseqüências. Segundo Cláudio Maretti, coordenador do Programa de Áreas Protegidas e Apoio ao Arpa, do WWF-Brasil, “as pessoas têm muita dificuldade em fazer essas associações. Acreditam que por morar longe da floresta não têm qualquer tipo de responsabilidade com sua conservação e não são diretamente atingidas pela devastação e pelo mau uso dos recursos naturais,, o que não é verdade”.

O Arpa foi criado oficialmente em 2003 pelo governo brasileiro, com o objetivo de consolidar 50 milhões de hectares de unidades de conservação na Amazônia, ao longo de 10 anos, incluindo a criação de cerca de 38 milhões de hectares de novas áreas protegidas (desde 2000). Até o momento, são cerca de 20 milhões de hectares protegidos criados com apoio desse programa e 8 milhões de hectares em processo de consolidação. Coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente, o Arpa é implementado pelo Ibama em parceria com governos estaduais da Amazônia que aderiram ao programa. A gestão financeira e os processos de aquisição e contratação são de responsabilidade do Funbio. Também participam do programa o Fundo Global para o Meio Ambiente (‘GEF’), o Banco Mundial, o KfW (Banco de Cooperação da Alemanha), a GTZ agência de cooperação técnica da Alemanha) e o WWF-Brasil, com doações e cooperação técnica.

O WWF-Brasil participou da criação, da implantação, do planejamento, da gestão e da execução do programa, bem como atua na sua manutenção em longo prazo. Além do depósito de US$ 4,5 milhões no Fundo de Áreas Protegidas (FAP), desde 2003 a organização já destinou outros US$ 10 milhões para a execução do ARPA – para os processos de criação e implementação das unidades de conservação, como pesquisa, compra de equipamentos, infra-estrutura etc.– parte dos US$ 70 milhões com os quais se comprometeu colaborar no prazo de 10 anos.

AES Eletropaulo
A empresa distribui energia elétrica para 24 municípios da região metropolitana de São Paulo – incluindo capital – que, juntos, abrigam uma população de 16,2 milhões de habitantes (8,8% da população do país). A área de concessão atendida abrange 4.526 km² e concentra a região socioeconômica mais importante do país com 5,3 milhões de unidades consumidoras. Em faturamento, a AES Eletropaulo é a maior distribuidora de energia elétrica do Brasil. Em 2005, os clientes cativos consumiram 31,63 mil GWh (gigawatt/hora), o que correspondeu a 35% do consumo estadual e a 9,4% do nacional. No mesmo período, a AES Eletropaulo registrou uma receita líquida de R$ 8,3 bilhões, valor 12,2% maior que os R$ 7,4 bilhões verificados em 2004

DOE AGORA
DOE AGORA