Rede GFTN



A Rede Global de Floresta e Comércio, conhecida pela sigla GFTN (Global Forest & Trade Nework), é o resultado de uma parceria que reúne um consórcio de organizações nãogovernamentais lideradas pela rede WWF, empresas e comunidades.

O objetivo comum é a vontade de demonstrar liderança e de implementar melhores práticas e atuação responsável nas
áreas de manejo e comércio florestal.

Hoje a Rede GFTN tem entre seus membros quase 400 empresas que atuam em cerca de 40 países produtores e consumidores na Europa, Ásia, África e Américas.

As empresas associadas à rede GFTN comercializam anualmente US$45 bilhões em produtos florestais, movimentando mais de 195 milhões de metros cúbicos de madeira, ou 12% de todo o comércio mundial florestal.

A soma das áreas manejadas pelos membros da rede GFTN chega aos 27 milhões de hectares, sendo 13 milhões certificados pelo FSC, empregando cerca de 1,3 milhão de trabalhadores.

A GFTN se insere na estratégia global do WWF de combate à atividade madeireira ilegal e de melhoria do manejo das florestas ameaçadas.

Ao facilitar links de mercado entre empresas responsáveis, cria condições de mercado que ajudam a conservar essas florestas, ao mesmo tempo em que proporciona benefícios sociais e econômicos para os empresários e as famílias e comunidades que delas dependem.

Como surgiu
A GFTN nasceu em 1991, na Inglaterra, a partir da iniciativa de empresas britânicas que se comprometeram com a compra de produtos madeireiros oriundos de florestas bem manejadas e, assim, fundaram o primeiro grupo da rede, conhecido pelo nome 95+Group.

Ao final daquela década, redes semelhantes haviam se formado em outros países na Europa, América do Norte e Ásia. Juntas, essas empresas geraram a demanda para a criação de um novo mercado global para produtos florestais certificados.

Como funciona
A GFTN funciona num sistema federativo, com a afiliação nacional e regional de Redes de Comércio e Floresta (FTNs). Existe uma equipe de coordenadores regionais e um pequeno secretariado internacional.

Empresas que desejam obter madeira oriunda exclusivamente de operações florestais legalizadas e bem manejadas podem fazê-lo de forma independente. Mas há vantagens para quem busca a certificação por meio de um sistema modular apoiado pela GFTN.

O WWF-Brasil reconhece e apóia a certificação FSC (Forest Stewardship Council ou Conselho de Manejo Florestal) como a garantia de uma operação florestal legalizada e bem manejada.

O selo FSC em um produto atesta que a matéria-prima vem de uma floresta certificada. Para facilitar, estimular e apoiar a certificação FSC, o WWF-Brasil criou o programa SIM – Sistema de Verificação e Implementação Modular.
As organizações que aderem ao SIM participam da GFTN.

Apesar da demanda por produtos florestais certificados, principalmente madeira e celulose, provocada pela criação da Rede Global de Florestas e Comércio e do crescimento da certificação em todo o mundo, ainda existe uma escala significativa de produção e comércio de produtos ilegais e não-sustentáveis.

No Brasil, estima-se que entre 64% e 80% de toda madeira produzida na região amazônica tenha origem ilegal. Isso representa um risco para compradores e fornecedores, e constitui uma ameaça à viabilidade
econômica dos produtores responsáveis que operam conforme os padrões ambientais e sociaisexigidos pela certificação.

Os produtores precisam de estímulo e apoio para enfrentar essa  concorrência desleal. Por sua relação de parceria com compradores, fornecedores e produtores, a GFTN tem condições de fazer esse papel de fomento e neutralizar os obstáculos.

O sistema passo-a-passo de apoio à certificação FSC é uma ferramenta para acessar os benefícios da Rede Global de Florestas e Comércio em contrapartida ao investimento na melhoria do manejo florestal e na busca pela certificação FSC.

 
© WWF / Edward Parker
Rede GFTN atua em cerca de 40 países produtores e consumidores na Europa, Ásia, África e Américas
© WWF / Edward Parker
DOE AGORA
DOE AGORA