Iniciativa da pecuária orgânica certificada ganha prêmio em Brasília



08 dezembro 2006

O presidente da Associação Brasileira de Produtores de Animais Orgânicos (Aspranor), Henrique Balbino, foi um dos cinco agraciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) com prêmio pelas iniciativas inovadoras que contribuem para o desenvolvimento sustentável da agropecuária brasileira. Henrique Balbino é líder no setor de pecuária orgânica no Mato Grosso. A premiação ocorreu no encerramento do seminário “Agropecuária Sustentável: um olhar para o futuro”, realizado em Brasília na quinta-feira (07/12).


O encontro reuniu especialistas das mais diversas áreas de produção agropecuária. Durante todo dia, foram apresentadas experiências com o manejo sustentável do agronégocio no meio ambiente. Henrique Balbino explicou a cadeia produtiva da carne orgânica baseada nos conceitos de sustentabilidade ambiental, social e econômica. “É importante que muitas instituições estejam preocupadas com a produção sustentável. Isso nos fortalece e mostra que estamos no caminho certo de buscar a produtividade, mas com respeito à natureza”, afirmou Balbino durante a entrega do prêmio.


O WWF-Brasil apóia a iniciativa de pecuária orgânica certificada no Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul com o objetivo de buscar alternativas para harmonizar a produção de alimentos com a manutenção da biodiversidade regional e dos processos ecológicos no Pantanal.


Nas fazendas de pecuária orgânica certificada é proibido o uso de fogo para manejar as pastagens e exigida a recuperação das áreas degradadas, a preservação das nascentes, das matas nas margens dos rios e nas encostas de morros. Outra exigência da certificação pelo Instituto Brasileiro Biodinâmico (IBD) é a proibição do uso de agrotóxicos no solo e hormônios para engorda dos animais. No tratamento veterinário do gado são utilizados produtos fitoterápicos e homeopáticos. Além disso, todos os animais são vacinados e têm uma ficha individual de acompanhamento em que são registradas todas as informações desde o nascimento. Isso possibilita o monitoramento da vida do animal passo a passo.


Segundo Ivens Domingos, técnico do WWF-Brasil, o país tem uma taxa anual de crescimento da produção orgânica em torno de 10% e consegue atingir até 1% na participação no mercado mundial do alimento orgânico. Em 5 anos, a área de produção orgânica certificada no Brasil saltou de 100 mil para aproximadamente 800 mil hectares. “O mercado para produtos orgânicos no Brasil possui um grande potencial de crescimento, acompanhando a tendência de crescimento do consumo responsável”, afirma.

DOE AGORA
DOE AGORA