Cidades históricas na Hora do Planeta 2015



25 março 2015    
Vista geral de Ouro Preto, cidade histórica na Hora do Planeta 2015
© Divulgação
Algumas das cidades que já enviaram seus Termos de Adesão e garantiram participação no maior ato simbólico contra as mudanças climáticas – no próximo sábado, 28 de março, entre 20h30 e 21h30 – guardam em sua origem e arquitetura um pouco da história do Brasil. Seja pelos ciclos da borracha no Norte, pela descoberta do ouro no Centro-Oeste ou pelas estradas de ferro no Sudeste. 

Muitas, inclusive, escolheram ícones ligados a essa história para serem apagados na Hora do Planeta 2015. Como é o caso de Ouro Preto (MG), famosa por sua arquitetura colonial e primeira cidade brasileira a ser declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. Por lá, edifícios históricos como o Museu do Oratório, o Museu Casa dos Contos, o Museu da Inconfidência e a sede da Prefeitura ficarão no escuro por sessenta minutos no próximo sábado à noite. 

Ainda no Sudeste, a paulista Santo André também tem história para contar e ícones a apagar. O município, onde serão desligadas as luzes do Prédio do Executivo e do Monumento ao Trabalhador, recebeu as primeiras estradas de ferro do estado – como a São Paulo Railway, que deu origem à turística Vila de Paranapiacaba, surgida no século 19, e que ainda preserva o casario de arquitetura inglesa típica da época. 

Em Goiás, Pirenópolis, considerado um dos primeiros municípios do estado e também participante da Hora do Planeta 2015, nasceu no auge do ciclo do ouro com o nome de Minas de Nossa Senhora do Rosário Meia Ponte. Entre os séculos 18 e 19 foi um importante centro urbano, com a mineração de ouro, comércio e agricultura, em especial a produção de algodão para exportação. A cidade irá desligar a iluminação do prédio da Prefeitura Municipal e do seu portal de entrada.

No mesmo estado, Jaraguá – que escolheu também a Prefeitura Municipal; e mais as sedes da Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente; e da Câmara Municipal para deixar no escuro em nome do planeta – nasceu da busca das riquezas minerais do rico solo quando ainda se usava a mão de obra escrava. 

Belém, capital do Pará, foi fundada em 1616 pelo Capitão-mor Francisco Caldeira Castelo Branco, encarregado pela coroa portuguesa de conquistar, ocupar, explorar e proteger a foz do rio Amazonas contra os corsários holandeses e ingleses. Algumas de suas construções mais antigas, como o Mercado Municipal de São Brás, estão na lista de ícones a serem apagados – ao lado do Palácio Antônio Lemos e do prédio da Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém – Codem.

Como as cidades podem participar?
Para participar da Hora do Planeta 2015, as cidades brasileiras devem entrar em contato pelo e-mail cidades@wwf.org.br ou pelo telefone (11) 3061-0121. A partir deste contato, será enviado um Termo de Adesão que deve ser assinado por uma autoridade municipal, formalizando a participação no movimento. Ao realizar seu cadastro, o município também recebe o guia Como Participar – Governos, com dicas para envolver a comunidade e divulgar sua participação em mídias locais – além de recomendações quanto à segurança (como, por exemplo, não apagar a iluminação pública de ruas e avenidas). Todas as cidades brasileiras participantes são citadas em matérias e entrevistas aqui no site e nas redes sociais do WWF. 

Festival Hora do Planeta
A sétima edição da Hora do Planeta no Brasil acontece no sábado, 28 de março, quando milhares de cidades, empresas e pessoas apagam as suas luzes, entre 20h30 e 21h30, em um grande alerta global contra as mudanças climáticas. Para celebrar a data, o WWF-Brasil promove um grande show gratuito no Rio de Janeiro, na Praia de Ipanema (Posto 10). O evento será no sábado 28 de março, a partir das 16h, e terá como principal atração o coletivo internacional de artistas Playing For Change e o músico Hamilton de Holanda. Também se apresentam Rodrigo Sha, Eduardo Neves e o DJ Nado Leal. Todo o espetáculo será realizado com gerador de biocombustível e com o patrocínio da Ambev, Banco do Brasil e Grupo Malwee. Além da TAM Linhas Aéreas, transportadora oficial da ação no Brasil, e da Globo que apoia o evento.
Vista geral de Ouro Preto, cidade histórica na Hora do Planeta 2015
© Divulgação Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA