Câmara de Jumirim para a Hora do Planeta



11 março 2009
Jurumirim
© Luzia Cruz Frata
Pequena cidade do interior de São Paulo pensa grande e resolve se unir à manifestação global em defesa do clima.

A pacata cidade de Jumirim, com 57 Km², no interior de São Paulo, vai dar sua contribuição à Hora do Planeta, em sinal de alerta contra as mudanças climáticas. A iniciativa partiu da Câmara Municipal, mas a prefeitura também irá dar sua parcela de contribuição, apagando as fachadas dos prédios públicos.

Os 2.500 cidadãos jurumirenses serão convocados - por meio de faixas, cartazes e da imprensa local - a comparecer à Câmara para uma hora de meditação, a luz de velas, sobre as questões ecológicas e as mudanças climáticas.

Jumirim, cujo nome vem do tupi-guarani jurumirim, salto pequeno ou embocadura pequena, descansa à beira do rio Sorocaba, a 160km de São Paulo, SP.

A cidade que o trem trouxe - Sua história começa na vila de Jumirim, sendo que a formação do povoado se dá a partir da construção, em 1886, de uma Estação da antiga Estrada de Ferro Sorocabana - hoje Ferroban -, na parte externa da fazenda Barreiro, pertencente ao português Manoel Novaes, considerado o fundador da cidade.

A cidade ganhou corpo, ainda na condição de distrito do Município do Tietê - condição em que se manteve até 27 de dezembro de 1995, quando foi elevada a município -, na era do café.

Foi colonizada por imigrantes predominantemente de origem Italiana, de cujos costumes, alimentos e o próprio linguajar herdou grande influência.

Hoje, Jumirim tem como principais atividades econômicas as indústrias de cerâmica, alimentos e de tinturaria, além, evidentemente, da agropecuária, uma vocação quase natural da maioria das pequenas cidades do interior deste imenso Brasil.
Jurumirim
© Luzia Cruz Frata Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA