Lançada campanha de popularização dos alimentos orgânicos



07 junho 2006
A Semana dos Alimentos Orgânicos e a campanha pela alimentação saudável e consumo responsável foram lançadas na quarta-feira (7/6) no Ministério do Meio Ambiente. A semana será realizada de 23 a 30 de junho em todo o país com a intenção de popularizar o consumo de produtos orgânicos de origem vegetal e animal. O WWF-Brasil assinou Acordo de Cooperação com o MMA para divulgar as estratégias em toda as rede de afiliados e voluntários.

A divulgação dos orgânicos será feita de forma integrada entre os ministérios do Meio Ambiente, da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e do Desenvolvimento Social, Associação Brasileira de Supermercados e Associações de Produtores de Orgânicos, além do WWF-Brasil, por meio do Programa Pantanal para Sempre.

Para a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, a preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade não podem ser vistas como um impedimento ao desenvolvimento, mas que esses temas representam o que há de mais moderno e atual em relação à produção. A ministra destacou a atuação da organização não governamental brasileira. “É uma satisfação ver que uma organização da sociedade civil tão importante como o WWF-Brasil, dedicada à preservação ambiental, também está preocupada com a questão social e o desenvolvimento sustentável”, afirmou. O superintendente-executivo do WWF-Brasil, Marcelo Ceylão, lembrou que a Semana dos Alimentos Orgânicos está alinhada com a filosofia da instituição de promover práticas ambientais sustentáveis.

Carne Orgânica
O Programa Pantanal para Sempre apóia a produção de carne orgânica nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul por acreditar que o sistema produtivo orgânico contribui para a sustentabilidade ambiental e para o desenvolvimento econômico. Atualmente, apenas pecuaristas desses dois estados produzem carne orgânica no país. São 13 fazendas e aproximadamente 70 mil hectares em pastagens e cerca de 55 mil cabeças de gado. Os projetos são certificados e acompanhados pelo Instituto Biodinâmico (IBD).

Recentemente, o WWF–Brasil divulgou estudo realizado em São Paulo e Rio de Janeiro sobre o mercado nacional para a carne orgânica. Segundo o estudo, os produtos orgânicos de origem animal ainda são pouco conhecidos do público em relação aos alimentos orgânicos de origem vegetal, mais difundidos e com consumo consolidado. De acordo com a pesquisa, a falta de informações sobre o que é carne orgânica e sobre os benefícios sociais e ambientais decorrentes do modo de produção orgânico são as principais razões para esse baixo consumo no país.

Do universo de 763 consumidores entrevistados – homens e mulheres na faixa entre 31 e 60 anos –, 70% desconheciam o que é carne orgânica e as características do sistema produtivo. Outros dados apurados são que 28% dos consumidores entrevistados já viram carne orgânica nos mercados e 31,8% pagariam a mais pelo produto por acreditarem que a carne orgânica é de melhor qualidade.

Os resultados do levantamento mostram a preferência pelo consumo de carne bovina e a exigência quanto à qualidade, fator que influencia na decisão de compra. Há uma disposição do consumidor em pagar entre 5% e 30% a mais desde que o produto atenda às expectativas de melhor qualidade.
DOE AGORA
DOE AGORA