Conselho aprova UCs em Bertioga



26 outubro 2010    
Bromélia (Nidularium innocentii), em Bertioga, São Paulo.
As áreas que receberão proteção oficial abrigam rica biodiversidade e estão vulneráveis à pressão imobiliária e turística.
© WWF-Brazil / Instituto Ekos Brasil / R.A.F. Lima
Por 27 votos favoráveis, um voto contra e uma abstenção, o Conselho Estadual de Meio Ambiente do Estado de São Paulo (Consema) aprovou hoje a criação do Parque Estadual Restinga de Bertioga, com 9.264,42 hectares, e da Área de Relevante Interesse Ecológico Itaguaré, com 58 hectares, ambos no município de Bertioga.

Conforme o diretor-executivo da Fundação Florestal de São Paulo, José Wagner Neto, o texto recebeu pequena alteração para permitir a captação de água para abastecimento público nas áreas protegidas e segue para a Casa Civil do Estado. Em seguida receberá a assinatura do governador e só então será publicado no diário oficial.

"A expectativa é de que a criação seja concretizada este ano. Havia estudos com quase 30 anos para a proteção daquela área, medida que se tornou possível com um processo participativo e apoio do WWF-Brasil. Hoje é um dia importante para a conservação da Mata Atlântica em São Paulo", afirmou José Wagner Neto.

A criação das unidades de conservação em Bertioga é uma prioridade do WWF-Brasil, que promoveu uma série de ações públicas e via Internet. As áreas protegidas também fazem parte da lista de prioridades da campanha Cuidar da natureza é cuidar da vida.

As áreas que receberão proteção oficial abrigam rica biodiversidade e estão vulneráveis à pressão imobiliária e turística. Além de proteger rios que abastecem a região e espécies ameaçadas e exclusivas do bioma, as unidades conservarão a planície que faz conexão com o Parque Estadual da Serra do Mar.

"Em vez de milhares de hectares, ou mesmo milhões de hectares, como temos na Amazônia, resta tão pouco da Mata Atlântica que devemos preservar e comemorar a criação de novas áreas protegidas, mesmo que medidas em metros quadrados", ressalta Cláudio Maretti, superintendente de Conservação do WWF-Brasil.

Confira aqui a minuta de criação das unidades de conservação em Bertioga.

Veja, também, o mapa da criação das UCs em Bertioga.

Bromélia (Nidularium innocentii), em Bertioga, São Paulo.
As áreas que receberão proteção oficial abrigam rica biodiversidade e estão vulneráveis à pressão imobiliária e turística.
© WWF-Brazil / Instituto Ekos Brasil / R.A.F. Lima Enlarge
Parque Estadual Restinga de Bertioga e Área de Relevante Interesse Ecológico - ARIE Itaguaré RPPNs em reconhecimento
Parque Estadual Restinga de Bertioga e Área de Relevante Interesse Ecológico - ARIE Itaguaré RPPNs em reconhecimento
© Fundação Florestal Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA