Sociedade se mobiliza em defesa da Amazônia | WWF Brasil

Sociedade se mobiliza em defesa da Amazônia

17 Outubro 2019
Milhares de pessoas participam de ato no município de Marabá (PA), que alertou a população para as ameaças contra a região e suas comunidades tradicionais, intensificadas no governo atual

Por Bruno Taitson, de Marabá (PA)


Movimentos sociais, ONGs ambientalistas, lideranças indígenas, estudantes, pesquisadores e parlamentares realizaram nesta quinta-feira (17/10) uma manifestação popular em defesa da Amazônia. No evento foram apresentados dados de pesquisas e relatos de representantes de populações indígenas e comunidades tradicionais dando conta de que as ações e omissões do Governo Federal vêm contribuindo decisivamente para o aumento nos desmatamentos, nos focos de queimadas e nas agressões e ameaças contra defensores do meio ambiente.

O Cacique Raoni Metuktire, histórica liderança indígena brasileira, denunciou os crescentes ataques sofridos pelos povos originários do Brasil, intensificados este ano. “Este governo não está nos respeitando. Quero paz para todos os povos indígenas. Luto até hoje, mesmo com idade avançada, pois quero que todos vivam em paz, no Brasil e nos outros países”, analisou.

O líder indígena foi aplaudido de pé em um ginásio lotado. Lideranças presentes manifestaram solidariedade a Raoni diante dos recentes ataques pessoais protagonizados pelo presidente Jair Bolsonaro na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas, em setembro.

Ubirajara Sompre, que representou a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil no ato em Marabá, no Pará, salientou o aumento nas ameaças, agressões e assassinatos contra lideranças indígenas. “Isso tende a aumentar se a proposta de abrir terras indígenas para mineração for aprovada no Congresso. Existem cerca de 180 proposições no Parlamento que ameaçam nossos povos”, observou.

Segundo a deputada federal Joênia Wapichana (Rede-RR), primeira mulher indígena na história do Congresso Nacional, os povos originários estão sofrendo ataques sistemáticos em diversas frentes, fenômeno sem precedentes na história recente do país. “Estamos sendo vulnerabilizados por inúmeras agressões, inclusive dentro de nossos territórios, conforme demonstrado no último relatório da organização Human Rights Watch. A Amazônia não é um mercado a ser explorado, temos vidas aqui, que precisam ser respeitadas”, desabafou no Ato Nacional em Defesa do Meio Ambiente e dos Povos da Amazônia.

O evento, organizado pelo Fórum Permanente em Defesa da Amazônia, foi encerrado com uma grande marcha pelas ruas de Marabá, com manifestações artísticas e culturais protagonizadas por representantes de povos indígenas de diversas regiões da Amazônia e outros artistas. Parlamentares aliados das causas ambientais, representantes de sindicatos, movimentos estudantis, organizações da sociedade civil e populares também participaram da na marcha.  

Comentários

blog comments powered by Disqus
DOE AGORA
DOE AGORA