Voluntários ajudam a recuperar o Cerrado | WWF Brasil

Voluntários ajudam a recuperar o Cerrado



05 Dezembro 2018   |  
Colocar a mão na terra e saber que a ação de um único dia vai perpetuar por muito mais tempo. Essa é a sensação de ser voluntário em um mutirão de plantio
© Eduardo Aigner / WWF-Brasil
Por Taís Meireles

Colocar a mão na terra e saber que a ação de um único dia vai perpetuar por muito mais tempo. Essa foi a sensação de cada voluntário que participou dos mutirões realizados pelo WWF-Brasil e diversos parceiros na última semana nas bacias do Pipiripau, no Distrito Federal, e do Guariroba, no Mato Grosso do Sul.

Plantio de mudas no Pipiripau

No Pipiripau, cerca de 40 pessoas participaram do mutirão Cerrado no Fórum, realizado no dia 28/11, na chácara da D. Fátima Cabral. “Tudo começou no Fórum Mundial da Água, em março, quando as pessoas fizeram doações para a restauração das bacias do DF. Agora estamos realizando os plantios e vendo o trabalho sendo multiplicado como semente boa em terra fértil”, comemora ela.

As doações a que Fatima se refere foram realizadas durante o 8º Fórum Mundial da Água, realizado em março em Brasília (DF), que renderam cerca de 450 mudas de plantas nativas do Cerrado. Além delas, 1,5 hectares de terra foram recuperados ao redor da bacia do Pipiripau por meio de semeadura direta, com aportes da parceria entre Banco do Brasil, WWF-Brasil, Agência Nacional de Águas, Fundação Banco do Brasil.

Muvuca de sementes no Guariroba

Na bacia do Guariroba, 85 pessoas se voluntariaram em pleno sábado, 01/12, para um mutirão de muvuca de sementes, na Fazenda Flamboyant, perto de Campo Grande (MS), em um evento comemorativo das ações de 2018 na bacia.

“Estamos apoiando a criação de uma rede de sementes na região. As comunidades de Furnas da Boa Sorte, Assentamento Canaã e Vista Alegre estão sendo capacitadas para fornecer as mudas aos projetos locais, testando o formato de rede. O evento de sábado foi justamente parte desse processo, com uma demonstração da técnica de muvuca para restauração em larga escala”, explica Paula Martins, analista de conservação do WWF-Brasil.

Conservação das bacias do Cerrado

Chamado de berço das águas do Brasil, o Cerrado abriga algumas das mais importantes bacias hidrográficas da América do Sul – Platina, Amazônica e São Francisco. Mas também é um dos biomas mais ameaçados do país. Ao todo, já perdeu 43% de seu território original.

Pensando em proteger a região, BB, WWF-Brasil, ANA e FBB se uniram então a diversos parceiros locais e atuam desde 2010 nas bacias do Cerrado junto com os produtores rurais.

Além do Pipiripau e do Guariroba, Peruaçu (Minas Gerais) e Descoberto (Distrito Federal) são bacias atendidas atualmente pelo projeto. Nessas quatro localidades, já foram instaladas mais de 700 cisternas para disponibilização de água e realizadas uma série de capacitações para agregar valor às produções das famílias.

Também foram restaurados mais de 300 hectares de terra nas quatro bacias desde 2010. A restauração de vegetação é uma forma de proteger as nascentes, garantindo mais água para os moradores das cidades próximas. 

Para se ter uma ideia, cerca de metade da população de Campo Grande (MS) depende da bacia do Guariroba para seu abastecimento. Se a mata ao redor da bacia não está conservada, a água vai secando e os reservatórios ficando cada vez mais vazios.

Assim, projetos como esse auxiliam os produtores a protegerem o meio ambiente para quem está nas cidades também. Inclusive, Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA) são realizados para eles, como um apoio técnico e financeiro para a implementação das práticas conservacionistas no campo.

Como você pode ajudar

Notícia boa para quem é do Distrito Federal! Em janeiro teremos mais uma atividade do projeto, desta vez na bacia do Descoberto. Esta nascente abastece mais da metade da população de Brasília!

No dia 07/01 será realizado um mutirão de semeadura direta na Chácara da Cachoeira Incra 6, em Brazlândia (DF). Quem quiser participar, deve entrar em contato com Silvia Brodri (silviabrodri@gmail.com).

MUTIRÃO DE SEMEADURA DIRETA
07/01 (segunda) – horário a definir
Chácara roda d'água, Brazlândia (DF)

Ser voluntário é ajudar quem está por perto, mas também pode ser ajudar o meio ambiente e, consequentemente, você mesmo. Participe!
Colocar a mão na terra e saber que a ação de um único dia vai perpetuar por muito mais tempo. Essa é a sensação de ser voluntário em um mutirão de plantio
© Eduardo Aigner / WWF-Brasil Enlarge
Fatima Cabral, durante o mutirão do dia 28/11, em sua chácara, no Pipiripau
© Vinicius Pereira / WWF-Brasil Enlarge
Além das 450 mudas doados durante o Fórum, 1,5 hectares foram recuperados por meio de semeadura direta com recursos da parceria entre WWF-Brasil, BB, ANA e FBB
© Vinicius Pereira / WWF-Brasil Enlarge
No Guariroba, o mutirão reuniu cerca de 85 pessoas, no dia 01/12, em prol da criação de uma rede de sementes local
© Paula Martins / WWF-Brasil Enlarge
As comunidades de Furnas da Boa Sorte, Assentamento Canaã e Alto Alegre receberam a demonstração da técnica de muvuca para restauração em larga escala
© Paula Martins / WWF-Brasil Enlarge
O objetivo do evento, além de comemorar os resultados do semestre, foi de capacitar essas comunidades para que elas aprendam a trabalhar no formato de rede
© Paula Martins / WWF-Brasil Enlarge

Comentários

blog comments powered by Disqus
DOE AGORA
DOE AGORA