Campo Grande anuncia adesão à Hora do Planeta e lança a Pegada Ecológica | WWF Brasil

Campo Grande anuncia adesão à Hora do Planeta e lança a Pegada Ecológica



09 Março 2010   |  
Claudio Maretti entrega o kit de mobilização da Hora do Planeta ao prefeito Nelson Trad Filho
© Denilson Secreta/PMCG

Por Geralda Magela
De Campo Grande (MS)

Campo Grande (MS) é a mais nova cidade a aderir à campanha de mobilização Hora do Planeta. O anúncio da adesão da capital sul-matogrossense ao  movimento foi feito pelo prefeito Nelson Trad Filho e pelo Superintendente de Conservação do WWF-Brasil, Cláudio Maretti, na tarde de terça-feira (9) durante  lançamento da Pegada Ecológica de Campo Grande.

No dia 27 de março, serão apagadas as luzes de monumentos, praças e prédios públicos que são referência na cidade, entre eles, o prédio histórico Morada dos Baís, a Central de Atendimento ao Cidadão e o monumento do Obelisco, todos localizados no centro da cidade. Também serão apagadas as luzes do Horto Florestal, os parques Jacques da Luz (Bairro Moreninhas), Tarsila do Amaral (Bairro Vida Nova), Belmar Fidalgo a Praça Elias Gadia   e Horto Florestal.

O prefeito Nelson Trad Filho disse que a adesão da cidade à Hora do Planeta é mais uma demonstração da preocupação e do compromisso de Campo Grande com o desenvolvimento sustentável da cidade. De acordo com ele, os eventos recentes que vêm ocorrendo na natureza mostram a importância de se repensar o desenvolvimento das cidades. “Com a nossa adesão a esse movimento, estamos nos unindo ao mundo para dizer que Campo Grande está refletindo sobre a questão ambiental”, destacou o prefeito.

Pegada Ecológica - A adesão ao movimento é mais uma ação da prefeitura com o WWF-Brasil. Durante o evento, foi assinado termo de parceria entre o município e a ONG para desenvolver uma iniciativa pioneira no Brasil: a aplicação da metodologia da Pegada Ecológica para uma cidade. 

Atualmente, esse cálculo só é feito no Brasil por indivíduo. A intenção do WWF-Brasil é ter uma métrica da pegada para a cidade e usá-la como uma ferramenta de gestão, que possa ser usada na tomada de decisão sobre as políticas públicas. E a cidade de Campo Grande será a primeira capital a desenvolver essa experiência, que já vem sendo testada em outros países.

O superintendente de Conservação do WWF-Brasil, Cláudio Maretti, elogiou o pioneirismo de Campo Grande no desenvolvimento da Pegada Ecológica. “Campo Grande assume um papel de liderança nesse trabalho ao aceitar o desafio de ser a primeira cidade brasileira a avaliar a sua pegada ecológica. Esperamos que os resultados gerados a partir desse trabalho sirvam como exemplo para outras cidades do Mato Grosso do Sul e do Brasil”, destacou Maretti.

O trabalho tem por objetivo calcular a pegada ecológica de Campo Grande no que se refere a geração e destino de resíduos, transporte, alimentação, habitação, entre outras áreas, e desenvolver com os parceiros ações que ajudem a diminuir os impactos dessas atividades e  contribuam para melhorar o desempenho ambiental do município.

O desenvolvimento da Pegada Ecológica será um trabalho conjunto. Os itens que irão compor a base do estudo e as ações para reduzir a pegada serão discutidos com os parceiros locais – prefeitura, instituições de ensino e pesquisa, empresas, ONGs, entre outras, e elaborado um plano de trabalho a ser desenvolvido durante o ano todo. A primeira oficina será realizada nesta quarta-feira (10), na Universidade Católica Dom Bosco, em Campo Grande.

Junte-se à Hora do Planeta 2010! Cadastre-se no site www.horadoplaneta.org.br e ajude a divulgar esta ideia!

Claudio Maretti entrega o kit de mobilização da Hora do Planeta ao prefeito Nelson Trad Filho
© Denilson Secreta/PMCG Enlarge
O prefeito de Campo Grande assina memorando de entendimento com o WWF-Brasil para desenvolver a Pegada Ecológica na cidade
© Denilson Secreta/PMCG Enlarge

Comentários

blog comments powered by Disqus
DOE AGORA
DOE AGORA