Cooperuaçu em ação na busca de novos mercados de comercialização | WWF Brasil

Cooperuaçu em ação na busca de novos mercados de comercialização



15 maio 2017    
Produtos da Cooperuaçu, especializada no extrativismo dos frutos do cerrado da região do Vale do Peruaçu
© WWF-Brasil
Por Taís Meireles

Com o apoio dos programas Água Brasil e Cerrado Pantanal do WWF-Brasil, a Cooperativa dos Agricultores Familiares e Agroextrativistas do Vale do Peruaçu (Cooperuaçu), teve uma semana de reuniões em Brasília em busca de novas parcerias.

O Coordenador da cooperativa, Joel Araújo Sirqueira, esteve em uma reunião com o Departamento de Extrativismo do Ministério do Meio Ambiente e à Agência de Cooperação da Embaixada Alemã no Brasil (GIZ), além de uma visita para estabelecer parcerias com o Restaurante Bhumi e a Comunidade que Sustenta a Agricultura, CSA  Cultivida.

“Esse tipo de parceria é importante não apenas para sustentar comercialmente a cooperativa, mas também para nos trazer aprendizados e gerar uma troca de experiências”, explica Joel.

Para as visitas, Joel levou amostras dos 33 diferentes produtos disponíveis que a Cooperuaçu produz, todos do extrativismo dos frutos do cerrado da região do Vale do Peruaçu. Pequi em conserva, geleia de manga, doce de araticum, doce de buriti, geleia de tamarindo, creme de pequi, geleia de seriguela e geleia de acerola foram apenas alguns dos produtos levados a esses encontros.

O extrativismo sustentável do Peruaçu é realizado por 60 agricultores afiliados à cooperativa, que foi lançada em 2016 com o apoio do WWF-Brasil. Além de vender para restaurantes e consumidores do norte de Minas Gerais, a Cooperuaçu já fez parcerias com outras cooperativas maiores, como a Central do Cerrado, de Brasília (DF), se organizando para vender para mercados inclusive internacionais, como o Japão.

“Nós estamos sempre buscando melhorar, tanto que agora estamos construindo uma fábrica mais estruturada para a realização do trabalho. Com uma sala de processamento com o dobro do tamanho da atual, poderemos produzir mais e até incluir novos cooperados. Toda ação da Cooperativa é feita com os pés no chão, para que cada passo seja firme e se consolide”, comenta o Coordenador da cooperativa.

Nesse sentido, a Cooperuaçu também está participando cada vez mais de feiras de exposição, como a Expojanuária, em Januária (MG), de 14 a 18/06, a Expomontes, em Montes Claros (MG), de 30/06 a 09/07, a Feira Internacional do Cooperativismo, http://www.esperancacooesperanca.org/23a-feicoop em Santa Maria (RS), de 07/07 a 09/07, e a Agriminas, em Belo Horizonte, de 05 a 09/07, com equipes distintas para a participação  em cada uma.

“Participando de eventos e fechando parcerias, a cooperativa pode ir mais longe, beneficiando não apenas os cooperados, mas contribuindo na dinamização social e econômica da região. Além do benefício ecológico de incentivar a produção de frutos típicos do Cerrado e de quintais, de forma sustentável, mantendo o Cerrado em pé pela boca”, finaliza Vinícius Pereira, analista de conservação do WWF-Brasil. 
Produtos da Cooperuaçu, especializada no extrativismo dos frutos do cerrado da região do Vale do Peruaçu
© WWF-Brasil Enlarge
Cooperuaçu visita Restaurante Bhumi, em Brasília, para firmar novas parcerias
© CSA Cultivida Enlarge
DOE AGORA
DOE AGORA