Conselho Consultivo

Cada membro do Conselho Consultivo deverá:
 
  • Contribuir para a preservação da imagem, da marca, do patrimônio, dos investimentos e demais ativos da organização, pela reputação do WWF-Brasil e para que os mais altos padrões legais e éticos sejam obedecidos em todas as ações da organização.
  • Compreender e apoiar a Missão do WWF-Brasil e as prioridades de conservação, bem como os objetivos, políticas e formas de atuação.
  • Indicar, para apreciação do Conselho Diretor, indivíduos de integridade e reputação inquestionáveis que poderiam vir a dar contribuição expressiva ao WWF-Brasil.
  • Comunicar ao Presidente do Conselho Diretor qualquer fato, situação ou condição pessoal ou profissional que possa, direta ou indiretamente, implicar em conflito de interesse ou possa vir a prejudicar a imagem do WWF. Caso seja considerada relevante, o Conselheiro deverá solicitar seu desligamento.
  • Participar ativamente das reuniões do Conselho Consultivo.
  • De acordo com suas possibilidades, contribuir:
- provendo conhecimento técnico-científico ou serviços profissionais, ou
- respondendo a consultas dos membros da entidade, ou
- auxiliando na formação de parcerias e "abrindo portas", ou
- divulgando o trabalho, promovendo a imagem pública e difundindo a marca do WWF, ou
- efetuando doações ou participando das campanhas de arrecadação ou de outros esforços para obtenção de recursos.
 
  • O Conselho Consultivo se reunirá duas vezes ao ano, com a participação do Conselho Diretor. 


Membros do Conselho Consultivo do WWF-Brasil:

Bia Aydar

Ao longo de mais de mais de duas décadas construiu uma sólida carreira no setor de eventos, tendo sido responsável por alguns dos mais importantes shows e megaeventos para as principais marcas nacionais e multinacionais. Construiu uma sólida carreira no setor de eventos, tendo sido responsável por alguns dos mais importantes shows e megaeventos para as principais marcas nacionais e multinacionais. Atua como empresária do segmento de publicidade.


Camila Pitanga

Graduada em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO), com habilitação em Teoria Teatral, Camila Pitanga teve seu primeiro contato com a arte da interpretação no Teatro Tablado. Desde então, já coleciona várias novelas, filmes e minisséries no currículo. Camila Pitanga obteve grande reconhecimento da crítica em 2007, com a personagem Bebel, na novela “Paraíso Tropical”, de Gilberto Braga, da Rede Globo. Por esta atuação recebeu 12 prêmios, entre eles, o troféu de melhor atriz de 2007 da Associação Paulista de Críticos de Artes. A atriz, contratada da Rede Globo de Televisão, divide o seu tempo e interesse entre os trabalhos em TV, teatro e cinema e causas sociais. Além de fazer parte do Conselho da WWF, também integra a diretoria do MHuD – Movimento Humanos Direitos. Com seu profissionalismo e carisma, a atriz, produtora e apresentadora conquistou credibilidade diante do público brasileiro, em pesquisa atestada pelo Instituto Ilumeo, em 2011.

Carlos Eduardo Soares Castanho

Carlos Eduardo Soares Castanho é sócio-diretor da Quorum Participações Ltda.
Desde o início da sua carreira trabalhou em bancos de investimentos. Primeiro no Chase Manhattan Bank, de 1984 a 1986, entrando no Banco de Investimentos Garantia S.A. em 1986, até 1998, como Sócio responsável pela área de Renda Fixa e Crédito. Após a venda do Banco Garantia ao Credit Suisse Carlos tornou-se Diretor Presidente do Credit Suisse First Boston Brazil. Saiu do Banco em 2003 para fundar a SPM. Possui graduação em Economia e Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo.

Eduardo Plass

Sócio fundador e Presidente do Grupo Opus, empresas de gestão de recursos, finanças corporativas e de investimentos. Além da Opus, é Presidente dos Instituto Social Plajap, Membro da Câmara Americana de Comércio e Membro do Conselho da Veirano Advogados. Eduardo Plass trabalhou no grupo Pactual por 17 anos onde foi Presidente e CEO do Grupo sendo responsável pela imagem institucional e atuando em seu comitê estratégico responsável pelas decisões estratégicas e corporativas. Antes do Pactual, trabalhou na Construtora Camargo Corrêa. Eduardo Plass é engenheiro formado em 1984 pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), possuindo ainda um MS em Engenharia Civil pela Georgia Tech University (1985) e um MBA pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais – IBMEC (1988).

Eloá (Lalá) Trein Aranha

Lalá Aranha nasceu em Porto Alegre, RS onde foi educada e trabalhou como professora, agente de turismo e relações públicas, atividade na qual vem trabalhando desde a década de 1980. Lalá desenvolveu sua carreira no Grupo Ogilvy: gerente geral no Rio Grande do Sul, vice-presidente em Brasília e presidente em São Paulo da AAB Ogilvy & Mather Relações Públicas, em 1991. Em 1996, fundou a CaliaAssumpção Publicidade, com Ronald Assumpção, Clovis Calia e Elmer Pereira. Em 2002, a agência foi adquirida pelo Grupo Total/Fischer, e em 2003 ingressou na CDN Companhia de Notícias, onde está até os dias de hoje, como sócia e diretora de Relações Públicas. É licenciada em Letras pela Faculdade de Filosofia da UFRGS e Comunicação Social, com habilitação para Relações Públicas e Publicidade pela Faculdade de Meios e Comunicação, da PUC, ambas em Porto Alegre. Dentre os vários cursos que realizou, destacam-se os MBAs Executivos em e-business e marketing no IBMEC, Rio de Janeiro, e o Ogilvy Advanced Manager Course em parceria com a H.B. School, além de vários outros no exterior. Em abri de 2010 lançou o livro Cartas para um Jovem Relações Públicas para a Editora Campus Elsevier, 20º. Livro da coleção “Cartas para um jovem...”.

Francisco Antunes Maciel Müssnich

Advogado e sócio da Barbosa, Müssnich & Aragão Advogados. Membro do Conselho de Editores do M&A Lawyer: a New Journal for the 21st Century Adviser (Jornal de fusões e aquisições). Mestrado em Harvard Law School, LL.M., 1979. Foi professor de Direito Societário de 1982 a 1994, e leciona Questões Contemporâneas de Direito Societário desde 2002 no curso de graduação em Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-RJ. Também é professor dos cursos de graduação e pós-graduação da Fundação Getúlio Vargas - FGV e auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva - STJD - Tribunal Pleno. Autor da obra "Cartas a um Jovem Advogado" lançado em junho de 2007 pela Editora Campus/Elsevier. Conselheiro e Membro do Comitê Executivo da Orquestra Sinfônica Brasileira do Rio de Janeiro.

Haakon Lorentzen

Formado em Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e graduado em Administração de Empresas pela Harvard University. No passado, foi Presidente do Conselho de Administração da Carboindustrial S.A. e Provida S.A.. Foi membro do Conselho de Administração da Ideiasnet S.A. e da Aracruz Celulose S.A.. É Diretor Presidente da Lorentzen Empreendimentos S.A., holding de investimentos em produtos florestais, transportes marítimos e tecnologia de informação. É também Diretor Presidente das seguintes empresas: Companhia de Navegação Norsul, Nebra Participações S.A., Picumnus Participações S.A, Scutellata Participações S.A., Loxosceles Participações S.A., Tiba Participações S.A. e PBS Pro Banking Systems S.A., e Diretor Vice-Presidente da Norbrasa Empreendimentos S.A.. É Presidente do Conselho de Administração da Companhia de Navegação Norsul.

José Eli da Veiga

José Eli da Veiga é professor titular de economia da Universidade de São Paulo (USP), pesquisador de seu Núcleo de Economia Socioambiental (NESA), e orientador em dois programas de pós-graduação: Relações Internacionais (IRI-USP) e Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ). Além de artigos em periódicos científicos nacionais e estrangeiros, e diversos capítulos de obras coletivas, publicou 20 livros e é colaborador das colunas de opinião do jornal Valor Econômico e da revista Página22.

José Goldemberg

Ex-reitor da USP, ex-ministro da Educação e secretário nacional do Meio Ambiente durante o governo Collor, o professor Goldemberg foi um dos articuladores da Eco-92. Físico nuclear, trouxe importantes contribuições para a maneira como o Brasil e o mundo vêem a questão energética, nas décadas de 1970 e 1980. Seu livro "Energia para um mundo sustentável", feito em parceria com outros pesquisadores, ajudou a quebrar o paradigma vigente até então de que energia era algo diretamente ligado ao Produto Interno Bruto e que, portanto, quanto mais fosse usada, melhor. Também desenvolveu o conceito de "leap-frogging" ("salto") tecnológico em energia. Países pobres não precisavam utilizar a mesma receita tecnológica usada anteriormente pelos países ricos: eles poderiam "dar um salto", com tecnologias mais limpas, como o álcool combustível.O professor José Goldemberg, recebeu em 2008 o prêmio Planeta Azul, pelas "grandes contribuições na formulação e implementação de diversas políticas associadas a melhoras no uso e na conservação de energia". O prêmio é concedido pela japonesa Asahi Glass Foundation a pessoas que se destacam nas áreas de pesquisa e formulação de políticas públicas na área ambiental. É o maior prêmio na área ao lado do Prêmio Goldman, considerado o "Nobel" do conservacionismo. Recebeu em 2014 o Troféu Guerreiro da Educação – Ruy Mesquita

José Pedro Sirotsky

Empresário do setor de comunicação, é acionista e conselheiro do Grupo RBS- Rede Brasil Sul de Comunicações. Conselheiro da Fundação Mauricio Sirotsky, braço social do Grupo RBS e conselheiro do Instituto Criar e da ADVB.

José Roberto Marinho

Vice-Presidente de Responsabilidade Social das Organizações Globo e Presidente da Fundação Roberto Marinho. Fundador do Instituto Acqua (ONG da área de recursos hídricos). Membro dos Conselhos Diretores do Instituto Ethos, Viva Rio, Ação Comunitária do Brasil, dentre outros.

Luíz Paulo Saade Montenegro

Vice-presidente e sócio do Grupo IBOPE, responsável pela administração da parte operacional e metodologia das divisões de pesquisa da mídia, opinião pública e pesquisa de mercado.

Marcos Pessoa de Queiroz Falcão

Presidente da GP Administração de Recursos que é um dos líderes no Brasil no mercado de private equity. Atuou também como presidente da Icatu-Hartford Seguros, uma das maiores empresas no mercado brasileiro de seguros de vida, previdência e capitalização. Graduado pela Pontífica Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), fez mestrado em Management na Stanford University Graduate School of Business, na Califórnia (EUA).

Mario Augusto Frering

Empresário, com ampla experiência no setor de recursos naturais, inclusive na Amazônia. Engenheiro com especialização na área financeira, hoje concentra suas atividades na administração de investimentos e no apoio e desenvolvimento de iniciativas no terceiro setor. Foi presidente do Conselho Diretor do WWF-Brasil.

Roberto Paulo César de Andrade

Presidente de honra do Conselho de Empresas do Grupo Brascan no Brasil e do Conselho Curador da Orquestra Sinfônica Brasileira. Membro vogal do Conselho Diretor da FGV e do Conselho do Funbio. Membro do Conselho de Desenvolvimento da PUC, dos Conselhos da Fundação Pe. Leonel Franca e da Fundação Telefônica. Presidente da Associação dos Amigos do Museu Histórico Nacional e do Conselho da Associação dos Amigos do Museu Imperial. Faz parte dos Conselhos dos Amigos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, do Centro de estudos Latino Americanos da Universidade de Harvard e do Conselho do Americas Society de N.Y.

Rudolf Höhn

Engenheiro Eletricista, formou-se pela Universidade Fluminense de Engenharia em 1962. Iniciou sua carreira como estagiário da IBM Brasil, onde mais tarde, em 1981, tornou-se presidente da empresa. No período de 1962 até 1966 atuou em várias empresas, entre elas: Cruzeiro do Sul, AEG e Furnas. Em 1996, assumiu, cumulativamente com a Presidência da IBM no Brasil, a responsabilidade pela área de infra-estrutura em todo continente, tornando-se o Vice-Presidente de Infra-Estrutura da IBM na América Latina. Em 2001, assumiu a Presidência da INVESTE BRASIL, com a incumbência de planejar, estruturar e implantar a primeira Agência de Promoção de Investimentos brasileira. Desde junho de 2004 é Sócio-Diretor da empresa E-Hunter de Tecnologia de Informação para a área de Recursos Humanos.

Rudolf já participou de diversos conselhos de empresas e entidades, como Conselho de Administração da Souza Cruz S.A. (BAT), Conselho Consultivo da Guardian International Corp, Conselho Diretor da Câmara Americana de Comércio no RJ, Conselho de Desenvolvimento da PUC-RJ, Mentor das Empresas Incubadas da PUC-RJ, Conselho Diretor da Associação Comercial do RJ, Presidente da Ação Comunitária do Brasil (RJ), Conselho Empresarial de Relações Internacionais (FIRJAN) e por oito anos foi membro do Conselho Consultivo da América Latina da Coca Cola Company.

Sergio Amaral

Diplomata, foi Embaixador do Brasil em Londres (1999-2000), Presidente do Conselho do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e social, BNDES (2001-2002), Ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Presidente do conselho da Câmara do Comércio Exterior, CAMEX (2001-2002), Embaixador do Brasil em Paris e Representante do Brasil junto à OCDE (2003-2005). Atualmente atua como consultor junto à Felsberg & Associados.
 
Sérgio Besserman Vianna

Economista e presidente do Instituto Pereira Passos da Prefeitura do RJ e ex-Presidente do IBGE. No BNDES, foi Diretor de Planejamento e da Área Social, depois de ter exercido a Superintendência de Planejamento, a Chefia de Gabinete da Presidência e a Gerência de análise macroeconômica. Recebeu o primeiro prêmio BNDES para teses de economia com sua dissertação sobre o segundo Governo Vargas. É professor de Economia na PUC/RJ e tem diversos artigos publicados sobre economia e meio ambiente. Foi membro da Missão Diplomática Brasileira à Conferência das Partes, COP4 e COP7, da Convenção de Mudanças Climáticas da ONU. Participou, em maio de 2007, representando a cidade do Rio de Janeiro, juntamente com o Prefeito, da Conferência Mundial das Metrópoles dedicada ao clima – C40 – em Nova York com o patrocínio da Fundação Clinton.