No Congresso Mundial para Conservação da Natureza, Brasil assina manifesto pela ampliação de Veadeiros | WWF Brasil

No Congresso Mundial para Conservação da Natureza, Brasil assina manifesto pela ampliação de Veadeiros

06 Setembro 2016

por Jaime Gesisky


A ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, mobilizou nesta segunda-feira a comitiva brasileira que participa do Congresso da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN, em inglês), que acontece até o dia 10 de setembro no Hawaii, nos Estados Unidos.


A ampliação do parque depende apenas da assinatura do presidente da República, já que os estudos científicos e jurídicos que embasam a medida estão aprovados pela Casa Civil, à espera apenas de um sinal do governador de Goiás, Marconi Perillo, que quer mais seis meses para ter tempo de resolver “problemas fundiários”, conforme alegações já tornadas públicas.

Os representantes de ONGs, governo e entidades civis presentes no congresso pedem a imediata assinatura do decreto de ampliação de Veadeiros.
 
Leia o manifesto

Os membros do Comitê Brasileiro da União  Internacional para Conservação da Natureza (UICN), juntamente com outras entidades brasileiras presentes no Congresso Mundial de Conservação da Natureza da UICN – que acontece no Havaí até o dia 10 de setembro – receberam com preocupação a notícia que o governo do estado de Goiás pede mais seis meses de prazo para dar seu de acordo para a ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Reconhecido como Sítio do Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros corre o risco de perder esse status, devido as pressões à Unidade de Conservação na região, zona de forte expansão do agronegócio. A ampliação do parque, proposta pelo governo federal visa, entre outros aspectos, garantir a perpetuação desta categoria.

Assim, o comitê e demais entidades presentes no Congresso da UICN demandam a imediata assinatura ao presidente Michel Temer para a ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros dos atuais 65 mil hectares para 242 mil hectares.

A expansão dessa área aumentará a proteção da biodiversidade do Cerrado – um dos biomas mais diversos e menos protegidos do país, conservará recursos hídricos fundamentais para as áreas urbanas e rurais e ainda manterá intactas paisagens deslumbrantes para as futuras gerações.

Além de ser considerado um caso de sucesso para o ecoturismo brasileiro, as atividades relacionadas ao parque e sua zona de entorno, servem como fonte de renda e levam para a região mais desenvolvimento e alternativas econômicas sustentáveis para as populações locais.

O processo de ampliação do parque seguiu todos os ritos previstos em lei, incluindo audiências públicas em que a sociedade teve chance de se manifestar e influir no desenho final. Os estudos científicos que embasaram o decreto foram rigorosos e passaram pelo crivo jurídico da Casa Civil, última etapa antes da sanção presidencial.

Apesar de em eventos públicos, o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) ter defendido a ampliação do parque, ressaltando os benefícios da medida para toda a sociedade, no dia 25 de agosto enviou ao Ministério do Meio Ambiente um ofício pedindo a prorrogação por mais 06 meses para que dê seu consentimento no avanço do processo de ampliação do Parque. 


O prazo anteriormente estabelecido terminou na última segunda-feira, 5 de setembro, mas até o momento, nada foi resolvido. Este obstáculo pode arrastar por mais 180 dias a assinatura do Decreto Presidencial.

Comentários

blog comments powered by Disqus
A expansão dessa área aumentará a proteção da biodiversidade do Cerrado
© Divulgação