Pantanal

 / ©: A. Camboni / R. Isotti / Homo Ambiens
Paisagem pantaneira
© A. Camboni / R. Isotti / Homo Ambiens

Águas que unem

Localizado no coração da América do Sul, o Pantanal é uma região peculiar não só pelas suas belezas naturais como também pelo papel que desempenha na conservação da biodiversidade.

Também chamado de “reino das águas”, esse imenso reservatório de água doce é muito importante para o suprimento de água, a estabilização do clima e a conservação do solo.

O Pantanal é a maior área úmida continental do planeta. Ele ocupa parte dos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e estende-se pela Bolívia e Paraguai.

A região concentra uma rica biodiversidade. Já  foram registradas no Pantanal  pelo menos 4.700 espécies, incluindo plantas e vertebrados. Desse total,  entre as quais estão 3.500 espécies de  plantas (árvores e vegetações aquáticas e terrestres), 325  peixes, 53 anfíbios, 98 répteis, 656 aves  e 159 mamíferos. 
 
Devido a sua importância ambiental, o bioma foi decretado Patrimônio Nacional, pela Constituição de 1988, e Patrimônio da Humanidade e Reserva da Biosfera, pelas Nações Unidas, em 2000.

Fonte: (Mittermeier, 2002; PCBAP, 1997; Azurduy ed., 2008).

 

O que são áreas úmidas?

As áreas úmidas são ecossistemas complexos, situados em uma interface entre a água e o solo, que abrigam uma enorme variedade de espécies endêmicas, mas, também, periodicamente, espécies terrestres e de águas profundas e, portanto, contribuem substancialmente para a biodiversidade ambiental. Saiba mais

Ciclo das águas garante riqueza ambiental

Todo ano, repete-se o ciclo das inundações no Pantanal, proporcionando a renovação da fauna e da flora. O equilíbrio ecológico do bioma depende do movimento constante do subir e baixar das águas.

A partir de novembro, com o início do trimestre chuvoso nas regiões altas da bacia hidrográfica, sobe o nível dos rios, provocando as enchentes na planície. Em maio, as chuvas param e as águas começam a baixar lentamente.

Nos terrenos alagados são formados inúmeros corixos e vazantes e uma grande quantidade de peixes fica retida em lagoas e baías.

A abundância atrai muitas aves em busca de alimento, formando um belo espetáculo.

É esse movimento que garante a manutenção das espécies e torna o Pantanal um lugar especial, único, mas também frágil.

Qualquer alteração nesse ciclo hidrológico pode comprometer toda essa rica biodiversidade.

Sítios de Ramsar

Além do Parque Nacional do Pantanal Matogrossense (MT), o Brasil possui outras 7 áreas classificadas como Sítios Ramsar: Estação Ecológica Mamirauá (AM), Ilha do Bananal (TO), Reentrâncias Maranhenses (MA), Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense (MA), Parque Estadual Marinho do Parcel de Manoel Luz (MA), Lagoa do Peixe (RS) e a Reserva Particular do Patrimônio Natural SESC Pantanal (MT).

Reserva da Biosfera

O Pantanal foi reconhecido em 2000 como Reserva da Biosfera. Essas reservas, declaradas pela Unesco, são instrumentos de gestão e manejo sustentável integrados que permanecem sob a jurisdição dos países nos quais estão localizadas.

No Pantanal não se
pode passar régua
sobre muito quando chove.
Régua é existidura de limites e o Pantanal nao tem limites.
Aqui, bonito é desnecessário,
Beleza e glória das coisas o olho que põe.

Manoel de Barros, poeta pantaneiro

  • Fatos e curiosidades

    • Os 210 mil quilômetros quadrados do Pantanal equivalem à soma das áreas de quatro países europeus – Bélgica, Suíça, Portugal e Holanda.
       
    • As cheias anuais dos rios da região atingem cerca de 80% do Pantanal e transformam a região em um impressionante lençol d'água, afastando parte da população rural que migra temporariamente para as cidades ou vilas.

Aves Migratórias no Pantanal

  •  / ©: WWF-brasil
    Publicação editada pelo WWF-Brasil com o apoio do WWF-Canadá. Apresenta uma lista de espécies, com belas fotos, informações sobre o seu habitat, ocorrência e características. É um guia para quem quer conhecer a riqueza das aves do Pantanal. Baixe a publicação.