Nova campanha do WWF-Brasil é alerta para desastre ambiental | WWF Brasil

Nova campanha do WWF-Brasil é alerta para desastre ambiental



20 Setembro 2007

A coincidência da data do início da nova campanha do WWF-Brasil não poderia ser mais emblemática: o Dia da Árvore (21 de setembro). Criado pela agência DM9DDB, o comercial "Money" tem como objetivo conscientizar a população quanto ao fato de que pequenas ações isoladas, tanto positivas como negativas, podem dar início a um efeito cascata de proporções planetárias. Usando técnicas de animação e a música "Money, Money (makes the world goes around)", do musical Cabaré - estrelado na década de 70 por Liza Minelli - o filme foi criado por Rodolfo Sampaio, Julio Andery e Arício Fortes. Para produzí-lo, reuniu-se um elenco de primeira linha, todos trabalhando gratuitamente neste alerta quanto aos riscos da degradação ambiental.

"Há uma urgência em fazermos algo pelo nosso planeta. Então, o WWF-Brasil procurou a agência DM9 na busca de uma solução criativa para passar esta mensagem. Eles se entusiasmaram com a idéia, mobilizaram parceiros e doaram a realização do filme, contribuindo assim para o nosso trabalho e com o meio ambiente. Levamos um certo tempo para nivelar as expectativas e as idéias sobre como passar essa inter-relação entre o que ocorre nas escalas local, regional, global, sem fronteiras, as causas e os efeitos, sendo o ser humano o ator central de tudo o que ocorre no nosso planeta. O filme capturou esse espírito de maneira exemplar. É um filme que trata de tema muito sério, a degradação ambiental, porém é lúdico, positivo, aponta a responsabilidade do homem, seu papel, e também soluções, pois ainda há tempo", comenta a secretária-geral do WWF-Brasil, Denise Hamú.

Vice-presidente de Criação da DM9DDB e um dos criadores do filme, o redator Rodolfo Sampaio revela que o projeto consumiu cerca de quatro meses, em função de sua complexidade, e que foi abraçado com extremo entusiasmo por todos os integrantes, felizes por se engajar em um projeto no qual a publicidade pode colaborar efetivamente para mudar comportamentos e condutas, trazendo benefícios para todos em escala até mesmo global. O também redator Arício Fortes conta que a criação do roteiro partiu da idéia de mostrar um homem comum - no caso, um lenhador - em um ato aparentemente prosaico . O personagem não tem consciência da magnitude do que faz, que uma "pequena" ação pode dar início a um efeito dominó, cujas conseqüências acabam por recair sobre ele próprio.

"A grande mensagem do filme é que, uma hora, o que você faz tem volta, vai chegar em você. Se você não se engajar nesta luta, se você não tentar reverter este cenário de devastação, mesmo que através de pequenos gestos e atitudes que se somarão com gestos de milhões de outros, um dia tudo pode cair na sua cabeça. Literalmente", diz Sampaio.


Fernando Rocha, da produtora de animação Pix Post, explica que depois de definida a seqüência de eventos que dão a volta ao mundo no filme, os animadores começaram a trabalhar em conjunto com a equipe da DM9DDB no story board, refinando os traços de cada quadro. Em seguida, com a definição dos personagens , eles foram modelados de forma a permitir a texturização dos desenhos. Além disso, explica o diretor Tornovsky, também da Pix Post, o uso de efeitos 3D foi essencial para possibilitar não apenas liberdade nos movimentos de câmera mas também de proporções dos objetos em relação ao cenário.

Da mesma forma que a animação, a trilha também desempenha papel fundamental na trama, tendo sido escolhida pelo seu tom teatral - em um crescendo, a música vai pontuando a história e mesmo para quem não compreende a letra em inglês, ela cria uma sensação de ciclo e, ao mesmo tempo, de urgência . A sugestão para que fosse usada foi de Sampaio, que ao lembrar da trilha de Cabaré, percebeu que ela poderia dar o tom ideal à campanha . A música "Money, Money" teve direitos de uso cedidos pelas editoras Warner Chappell e Universal Music Publishing Group, que também se engajaram na causa da WWF. A intenção é mostrar que, se por um lado, o dinheiro é a mola do mundo, que o desenvolvimento sustentável, feito de forma a preservar os recursos naturais do planeta, proporciona avanços imensuráveis à humanidade, por outro lado o comportamento inverso pode ter conseqüências dramáticas:

"A cobiça, a busca inconseqüente apenas pelo lucro, pode ser devastadora e seus reflexos surgem cada vez mais rapidamente, mais próximas de nós. Quando falamos de problemas ambientais, queimadas, o nível dos oceanos subindo, poluição, desmatamento, temos a tendência de achar que é um problema abstrato, que está longe de nós. Mas a verdade é que está cada vez mais próximo. Na tosse que leva milhares aos hospitais no inverno pela má qualidade do ar , no mar tomando o calçamento e chegando às fundações de prédios na orla de Pernambuco, no risco de extinção de animais que conhecemos na nossa infância e que nossos netos talvez nem venham a conhecer", compara Rodolfo Sampaio.

Da descoberta da música à versão final ouvida no comercial, o trabalho passou por diversas fases, conta Tula Minassian, da produtora de som Play it again. Gravada por um coro feminino, um coro infantil e, em primeiro plano, a voz do cantor e ator Alaor Coutinho - tem timbre bem aproximado ao que se tinha na versão original -, as vozes se sobrepõem em um contracanto que gera uma espécie de cacofonia que dá ritmo a o filme. Como explica o produtor Lollo Anderssen, a missão era árdua: reproduzir, no estúdio, o "acting" da música. Para facilitar a vida dos cantores-mirins, a música em inglês ganhou uma espécie de "cola", uma "versão fonética" escrita da forma como as palavras são pronunciadas.

"Enfim, a mensagem é: "faça alguma coisa pelo planeta". Porque se não, você não vai ter planeta. Ainda há tempo. Cuide, ajude, incentive, ensine. Afilie-se ao WWF-Brasil. Tudo que você fizer em prol da sua casa, que é a Terra, vai voltar para você" conclui Sergio Valente, presidente da DM9DDB.